De Billie Eilish a Rosalía, principais candidatos ao Grammy têm estilos próprios

Mulheres e novatas são destaque entre os indicados na premiação mais importante da indústria da música

Jill Serjeant
Reuters

 Do pop ao rap, de Billie Eilish a Bon Iver e Rosalía, os principais candidatos aos prêmios Grammy de domingo estão transformando gêneros musicais tradicionais com uma fusão impressionante de estilos.

A sensação adolescente Eilish, a cantora Lizzo e o rapper country Lil Nas X lideram as indicações na premiação mais importante da indústria da música em uma lista que favorece mulheres e novatas em detrimento de estrelas estabelecidas, como Taylor Swift, Ed Sheeran e Bruce Springsteen.

Embora o rap e o R&B tenham ultrapassado o rock em 2017 como gêneros musicais dominantes nos Estados Unidos, os quatro principais prêmios do Grammy —álbum, gravação, música do ano e artista revelação— são disputados por artistas que desafiam rótulos.

Eilish, de 18 anos, que teve um ano marcado por sucessos como “Bad Guy” e “All the Good Girls Go to Hell” de um álbum gravado com seu irmão Finneas em um quarto de Los Angeles, é um exemplo disso.

“O que ela está fazendo é único”, disse Melinda Newman, editora-executiva da Billboard para a costa oeste dos EUA e a cidade de Nashville.

“Ela abrange o alternativo, ela abrange rock, pop e pop alternativo. Ela se encaixa em algum lugar daquele gênero indefinível e estranho que traz muitos elementos diferentes”, acrescentou Newman.

Eilish tem seis indicações ao Grammy, incluindo álbum, gravação e música do ano, além de artista revelação e melhor performance solo de pop.

Lizzo, de 31 anos, uma flautista de formação clássica, lidera o prêmio com oito indicações, enquanto o novato Lil Nas X, de 20 anos, que concorre em seis categorias, bateu recordes da Billboard no ano passado com seu country-rap “Old Town Road”, com colaboração de Billy Ray Cyrus.

Outros candidatos a álbum do ano incluem “Norman F***ing Rockwell”, de Lana Del Rey, cujo estilo varia do pop barroco ao rock psicodélico, e o “I, I” de Bon Iver, que conta com a participação de quase 50 músicos.

“Obviamente, o Grammy está trabalhando para se tornar mais diversificado e inclusivo em todos os aspectos, incluindo o júri, e acho que você vê isso na lista de indicações mais diversa deste ano”, disse Newman, da Billboard.

A cerimônia do Grammy ocorre em Los Angeles, neste domingo (26).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.