Descrição de chapéu
Livros

Entenda por que 'A Revolução dos Bichos' agora tem novo nome

Rebatizado de 'A Fazenda dos Animais', como no original em inglês, fábula de George Orwell sairá em edição crítica

Fabiane Secches

​No final da Segunda Guerra Mundial, o britânico George Orwell publicou uma novela satírica que acabaria se tornando um clássico. "Animal Farm" conta a história de uma rebelião organizada por um grupo de animais contra as pessoas que os exploravam.

A princípio, tudo corre bem. O antigo proprietário da fazenda é expulso do lugar, que passa a ser gerido pelos próprios animais, a partir de um regime que preconiza o bem comum. A coisa muda de figura quando um dos porcos toma para si a posição de líder.

Ao longo dos anos, a fábula de Orwell tem sido lida como uma crítica ao stalinismo, que teria subvertido os ideais socialistas da Revolução Russa.

Mas, como boa fábula que é, também ganhou outras interpretações, entre elas a de que a crítica recairia sobre quaisquer regimes totalitários e antidemocráticos, não importa a que ideologia pertençam.

O autor, que chegou a lutar na Guerra Civil Espanhola contra as tropas lideradas por Franco, diz que nunca assumiu posições políticas claramente definidas. No prefácio à edição ucraniana, conta que se tornou pró-socialista mais "por desgosto com a maneira como os setores mais pobres dos trabalhadores industriais eram oprimidos e negligenciados".

Ainda assim, argumenta que, de 1930 em diante, viu poucos indícios de que a União Soviética estivesse avançando na direção de algo que pudesse chamar de socialismo. "Pelo contrário, ficava chocado diante dos sinais claros de sua transformação numa sociedade hierarquizada."

De outro lado, Orwell também fez críticas importantes à Inglaterra, que não considerava ter um regime totalmente democrático, mas ser um país onde existiam grandes privilégios de classe e acentuadas diferenças econômicas.

Ao lado de "1984", outra alegoria política do autor, "Animal Farm" acabou ganhando o mundo e teve contornos particulares no Brasil. Levou quase 20 anos para que fosse publicada por aqui e, quando isso ocorreu, recebeu um título diferente, pelo qual se tornou amplamente conhecido —"A Revolução dos Bichos".

A história por trás dessa tradução é bastante controversa. Publicada em 1964, ano do golpe militar, e financiada por um instituto ligado ao regime, o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais, foi assinada por Heitor Aquino Ferreira, então um tenente militar, secretário do general Costa e Silva e, mais tarde, também do general Ernesto Geisel.

Ao longo de seis décadas, essa versão foi a única disponível no país. Agora, a obra ganha uma tradução feita por Paulo Henriques Britto, que recupera o título original, "A Fazenda dos Animais", numa edição crítica organizada por Marcelo Pen, professor de literatura da Universidade de São Paulo. No posfácio, Pen remonta o contexto da tradução anterior e coteja com a nova.

Mais editoras preparam versões, para 2021, quando Orwell entra em domínio público, como a L&PM, que trabalha com Denise Bottmann, outro grande nome da tradução no país, que também escolheu o título "A Fazenda dos Animais". Segundo ela, Orwell usa 31 vezes a palavra "rebellion", ou rebelião, mas nunca "revolution", ou revolução.

Já na tradução de Heitor Aquino Ferreira, a palavra "revolução" aparece 23 vezes, sendo uma no título —o que não aconteceu em nenhum outro país, mesmo quando foi reinventado de outras formas.

O caso faz pensar que, num mercado com um número expressivo de títulos estrangeiros, a tradução talvez mereça mais espaço na recepção das obras. Segundo, Britto "muitos resenhistas escamoteiam o fato de que os livros foram na verdade escritos em outro idioma, e que foram reescritos em português por um tradutor. No mais das vezes, a tradução só é mencionada quando se quer fazer ressalvas".

Se os leitores mergulham na leitura e se esquecem que estão diante de uma tradução é porque aceitaram a "ficção" de que estão lendo o texto tal como ele foi escrito na versão original. Mas o tradutor lembra que "de um crítico, que é —ou devia ser— um leitor altamente especializado, se exige justamente que ele desmonte essa ficção e revele o que está nos bastidores".

A Fazenda dos Animais

  • Preço R$ 89,90 (248 págs.), R$ 39,90 (ebook)
  • Autor George Orwell
  • Editora Companhia das Letras
  • Tradução Paulo Henriques Britto

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.