Descrição de chapéu Cinema festival de berlim

Filme que abre com cena de pornô amador vence o Urso de Ouro no Festival de Berlim

'Bad Luck Banging or Loony Porn', do romeno Radu Jude, é sátira irreverente sobre obscenidade da sociedade hoje

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

AFP

Um filme romeno que compara a obscenidade do pornô à da sociedade atual foi anunciado como o vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim, realizado em edição virtual, nesta sexta-feira (5).

"Bad Luck Banging or Loony Porn" é o segundo longa de Radu Jude a ser premiado no evento —em 2015, ele recebeu o Urso de Prata por "Aferim!".

Já a atriz alemã Maren Eggert venceu o primeiro prêmio de interpretação de gênero neutro do festival por seu papel em "I'm Your Man", de Maria Schrader. Com a categoria, o Festival de Berlim acabou com a tradicional distinção entre melhor ator e atriz.

Outros vencedores incluíram “Natural Light”, que deu ao realizador húngaro Dénes Nagy o Urso de Prata de melhor direção, e "Introduction", do coreano Hong Sang-soo, ganhador do prêmio de melhor roteiro.

Algumas das produções mais aguardadas da competição do festival este ano saíram de mãos vazias. Foi o caso de "Next Door", estreia do ator Daniel Brühl (de "Adeus, Lênin!") na direção. E de "Petite Maman", novo longa da francesa Céline Sciamma, que causou frisson com o drama lésbico "Retrato de uma Jovem em Chamas" em Cannes há dois anos.

"Bad Luck Banging or Loony Porn" começa com uma sequência de vários minutos de um pornô amador. O vídeo vaza na internet e vira de cabeça para baixo a vida da professora Emi, papel de Katia Pascariu, incitando um debate sobre a natureza das redes sociais, o cancelamento e a pressão sobre as mulheres.

Tudo isso incluindo máscaras e protocolos de distanciamento social —o longa foi filmado durante a pandemia— e satirizando a Igreja, o Exército, os novos ricos e os ex-comunistas na Romênia.

"É um filme bem pensado e ao mesmo tempo selvagem, inteligente, infantil e vibrante. Ele ataca o espectador, não deixa ninguém indiferente", justificou o júri.

Os prêmios desta edição do festival foram anunciados numa live pelos membros do júri. Eles foram os únicos a se reunir presencialmente em Berlim, assistindo aos filmes das mostras competitivas numa sala de cinema —o público só verá os títulos em junho.

Mesmo assim, um deles, o iraniano Mohammad Rasulof, vencedor do Urso de Ouro no ano passado por "Não Há Mal Algum", avaliou os filmes diretamente de Teerã, uma vez que está impedido de sair de seu país por questões políticas.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.