Descrição de chapéu greve dos caminhoneiros

Polícia Federal deflagra ação contra empresas suspeitas de locaute no RS

Foram cumpridos 3 mandados de busca e apreensão e 1 de prisão temporária

Filipe Oliveira Ana Luiza Albuquerque
São Paulo e Curitiba

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (31) a Operação Unlocked, contra empresas suspeitas de terem paralisado suas atividades em apoio à greve dos caminhoneiros em rodovias do Rio Grande do Sul, ação conhecida como locaute.

Mais de 60 policiais federais cumpriram três mandados de busca e apreensão nos municípios de Vale Real e Caxias do Sul, e um de prisão temporária em um condomínio de luxo em Xangrilá. 

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a Brigada Militar dão apoio à Operação.

O inquérito foi instaurado no dia 30 de maio, a partir de denúncias recebidas e de análise de informações.

A investigação apontou que sócios de uma grande transportadora estariam ameaçando caminhoneiros para que não realizassem o transporte de cargas, além de obrigar motoristas a desembarcarem dos seus caminhões e os abandonarem em postos de combustíveis. A atuação criminosa teria ocorrido nas rodovias RS-122, RS-452 e BR-116, na região dos municípios de Bom Princípio, Feliz e Vila Cristina.

Outros inquéritos ainda estão sendo instruídos no Rio Grande do Sul--este é o que se encontra na fase mais avançada. Segundo a Polícia Federal, um dos principais objetivos do grupo era provocar o desabastecimento de grãos nas granjas da região e evitar a distribuição de proteína animal e combustível. Um dos sócios foi alvo de um mandado de prisão. ​

Os crimes investigados na Operação unlocked são atentado contra a liberdade de trabalho e associação criminosa.

O ministro da Segurança, Raul Jungmann, vem acusando empresas de terem se aproveitado da greve para pressionar o governo. Na última quarta (30), o ministro afirmou que 52 inquéritos foram abertos pela PF para investigar os supostos crimes.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.