CVM investiga Vale por divulgação de tragédia em Brumadinho

Em forte baixa, ações da companhia chegaram a registrar queda de mais de 20% nesta segunda-feira

Nicola Pamplona
Rio de Janeiro

A CVM (Comissão de Valores Mobiliários) abriu dois processos para analisar a conduta da Vale na divulgação ao mercado do rompimento da barragem em Brumadinho (MG) na última sexta (25).

O órgão regulador vai coletar informações para apurar se a mineradora seguiu os procedimentos de divulgação de fatos relevantes a investidores em ações da companhia.

O primeiro processo foi aberto ainda na sexta, com o objetivo de analisar o conteúdo das notícias divulgadas pela mineradora após o acidente. O segundo, instaurado nesta segunda (28), avalia se os administradores cumpriram seus deveres na divulgação.

Nesta segunda (28), as ações da Vale operam em forte baixa, chegando a cair mais de 20% em São Paulo. Na sexta, quando o acidente ocorreu, não houve pregão na bolsa paulista, fechada para o feriado de aniversário da capital.

A primeira nota à imprensa sobre o caso foi divulgada pela Vale às 14h de sexta. Nos dias seguintes, a companhia publicou outros 16 textos, entre comunicados e atualizações.

Ainda não há, na CVM, acusações sobre eventuais infrações a regras de divulgação. A abertura de um processo administrativo representa o início da análise de um fato pelo órgão regulador.

Se detectar irregularidades, a CVM pode abrir um processo sancionador, que podem resultar em punição dos responsáveis.

Até o momento, as autoridades contabilizam 60 mortos e 292 desaparecidos após o acidente, que já supera em número de vítimas fatais a tragédia de Mariana, em 2015, quando o rompimento de uma barragem matou 19 pessoas.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.