Boeing convoca sessão informativa sobre planos para o 737 Max

Reunião discutirá retorno do modelo para voos comerciais após acidentes fatais na Etiópia e Indonésia

Bangalore , Cingapura e São Paulo

A fabricante norte-americana de aeronaves Boeing informou nesta segunda-feira (25) que convidou mais de 200 pilotos, além de técnicos e reguladores para uma sessão de informações na próxima quarta, como parte dos esforços para compartilhar detalhes sobre seus planos para apoiar o retorno do modelo 737 MAX para voos comerciais.

A reunião é um sinal de que a atualização de software planejada pela Boeing está perto de ser concluída, embora ainda precise de aprovação regulatória.

A sessão de informações ocorrerá em Renton, Washington, e faz parte de um plano para alcançar operadores atuais e futuros do 737 MAX, além de reguladores, informou a Boeing em comunicado.

Aeronaves do modelo 737 MAX na fábrica da Boeing em Renton, no estado de Washington - Lindsey Wasson/Reuters

"Continuamos trabalhando de perto com nossos clientes e reguladores em atualização de software e treinamento para o 737 MAX", disse a fabricante. "A Boeing está pagando pelo desenvolvimento dessas atualizações".

Equipes de três companhias aéreas norte-americanas que possuem jatos 737 MAX participaram no último sábado de reunião para revisar a atualização de software planejada. Reguladores dos EUA se preparam para receber e revisar as atualizações nas próximas semanas, após acidentes fatais na Indonésia e na Etiópia.

No Brasil, a Boeing veiculou anúncios sobre os compromissos da companhia em garantir a segurança do 737 MAX, reforçando que lançará em breve atualização de software e treinamento correlato para pilotos do modelo.

"O trabalho está progredindo de forma minuciosa e rápida para sabermos mais detalhes sobre o acidente da Ethiopian Airlines e compreender as informações provenientes dos gravadores de dados de voo e voz da cabine do avião. Nossa equipe está no local com investigadores para apoiar a investigação e fornecer conhecimentos técnicos", informou a fabricante no anúncio.

Também nesta segunda (25), a Qatar Airways declarou seu apoio à Boeing.

"No que me diz respeito, tenho total confiança na Boeing e em sua capacidade de resolver qualquer problema técnico", disse o presidente-executivo da Qatar Airways, Akbar al-Baker, a repórteres em Mascate, Omã.

"Estou certo de que a aeronave voltará aos céus em breve e que a Boeing vai tirar a limpo o que aconteceu e, se houver algo técnico de errado, eles encontrarão uma solução para isso", disse ele.

A Qatar participará da sessão informativa programada para esta semana.

Já a Norwegian Air informou que alugará aviões e adiará a venda de modelos mais antigos em sua frota após a suspensão das aeronaves 737 MAX da Boeing. A operadora de baixo custo também usará alguns de seus maiores Boeing 787 Dreamliners para compensar os efeitos da suspensão de seus 18 jatos MAX - cerca de 11% de sua frota.

"Além de continuar a combinar voos e realocar aeronaves, a companhia decidiu adiar as vendas potenciais de seis aeronaves Boeing 737-800 e usar o 787 Dreamliner disponível em rotas de alto volume, o que aumentará a flexibilidade", disse a Norwegian em comunicado.

"A empresa tem um bom diálogo com a Boeing e está confiante em chegar a um acordo construtivo", disse a empresa, sem dar mais detalhes.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.