Ibama multa Petrobras em R$ 8,19 mi por vazamento de óleo na Bacia de Campos

Na última quinta-feira, mancha de óleo era de 10 quilômetros quadrados, segundo instituto

Rio de Janeiro e São Paulo | Reuters

O Ibama multou a Petrobras em R$ 8,19 milhões devido ao vazamento de óleo durante transferência da plataforma P-58 para o navio São Sebastião, no dia 23 de fevereiro, a cerca de 85 km da costa do Espírito Santo.

Na quinta-feira (28), a mancha de óleo ainda atingia 10 quilômetros quadrados e deslocava-se na direção sul, a cerca de 200 km do litoral norte do Rio de Janeiro, de acordo com o Ibama.

"Analistas do Ibama participam de vistorias diárias na região em helicóptero e avião equipado com sensores. Em ação coordenada com a Marinha e a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o instituto seguirá monitorando a mancha e acompanhando as ações adotadas para contenção e recolhimento do óleo no mar", afirmou o órgão.

Segundo as primeiras informações, o vazamento somou 260 mil litros, ainda de acordo com o Ibama. A Petrobras informou posteriormente que o volume vazado atingiu 188 mil litros.

Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro - Reuters

Em nota divulgada horas após o comunicado do Ibama, a Petrobras afirmou que não foi notificada sobre a multa e reiterou um posicionamento divulgado anteriormente, segundo o qual um sobrevoo da área na segunda-feira (22) "não encontrou mancha de óleo no mar".

A empresa admitiu, no entanto, que sobrevoos posteriores e imagens de satélite identificaram finas camadas de óleo na superfície, "com brilho característico, possivelmente resquícios do incidente".

"Embarcações realizaram sua dispersão mecânica, com o uso de jatos de líquido, conforme procedimento padrão recomendado pelo Ibama nessas situações", acrescentou a estatal.

A petroleira disse ainda que tem reportado suas ações à Marinha e ao Ibama.
 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.