À espera de balanços corporativos e saque do FGTS, Bolsa fecha em alta

Bancos sustentam desempenho do Ibovespa; ações da Vale caem após queda na produção

São Paulo

A Bolsa brasileira operou alinhada com os mercados europeus e americano nesta segunda-feira (22). O Ibovespa, maior índice acionário do país, teve leve alta de 0,48%, a 103.949 pontos. O desempenho positivo do índice foi sustentado por bancos, cujos balanços do segundo trimestre começam a ser divulgados nesta semana.

A suspensão da tabela de frete, que havia gerado críticas por parte dos caminhoneiros, e a expectativa de um anúncio de saques do FGTS colaboraram para o viés do mercado brasileiro. O dólar acompanhou e teve queda de 0,18%, a R$ 3,739.

Investidor analisa gráficos da Bolsa de Nova York
Com o recesso parlamentar, a Bolsa brasileira tende a operar alinhada aos mercados externos - Xinhua/Wang Ying

O cenário positivo superou a queda da Vale, que reportou queda de 33% na produção do minério de ferro no segundo trimestre. As ações da empresa chegaram a cair 1,73% durante o pregão, mas encerraram em queda de 0,5%,a R$ 52,45.

Nos Estados Unidos, o índice S&P 500 teve alta de 0,28% e Nasdaq, 0,7%. Dow Jones permaneceu estável​, assim como a Bolsa de Londres. Já Paris e Frankfurt subiram, ambas, 0,25%.

Nesta quarta (24), o Santander divulga os seus resultados no segundo semestre, seguido do Bradesco na quinta (25).

À espera de crescimento no lucro, as ações preferenciais do Bradesco, de terceiro maior peso do Ibovespa, subiram 1,56%, a R$ 38,19. As ordinárias, com direito a voto, tiveram alta de 1%, a R$ 34,39.

O volume de negociação da Bolsa, por outro lado, teve um desempenho abaixo da média para o ano, com giro financeiro de R$ 11,6 bilhões.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.