Descrição de chapéu Folha Informações

É falso que Paulo Guedes publicou tuíte criticando o Congresso

O ministro da Economia não tem perfil no Twitter, conta atribuída a ele já foi objeto de diversas checagens nos últimos meses

São Paulo

É falso que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenha escrito no Twitter que o Congresso Nacional estaria enviando o recado “deixe a gente roubar, ou você não governa” ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). O ministro não possui conta oficial em nenhuma rede social. Não há, além disso, registro de que Guedes tenha dito esta frase em outra ocasião. 

Segundo texto do site Boatos.org, o tuíte viralizado foi publicado em junho por uma conta de simpatizantes do ministro da Economia, atualmente suspensa da rede social. Desde então, uma captura de tela do tuíte em questão, no qual o nome do usuário está incompleto, passou a circular amplamente no Facebook. 

Outras imagens de tuítes da mesma conta falsa (@PauloGuedes1234) já haviam sido compa rtilhadas nas redes sociais e foram desmentidas por diversas agências de checagem. Essas publicações enganosas atribuíam ao ministro da Economia críticas ao jornalista Glenn Greenwald, ao vazamento de conversas da Lava Jato e ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. 

Na imagem se vê tuíte de perfil chamado Paulo Guedes com a mensagem "O recado da maioria do congresso nacional está claro para o presidente, deixe a gente roubar ou você não governa.
O ministro da Economia, Paulo Guedes, não possui conta oficial em redes sociais. - Reprodução/Projeto Comprova

O tuíte falso foi compartilhado por uma conta pessoal no Facebook no dia 17 de setembro e obteve 22 mil compartilhamentos. A mesma publicação foi reproduzida no dia 19 de setembro no grupo “Legião Bolsonariana - A favor do Super Ministro Moro”, com 323 compartilhamentos. 

Falso para o projeto Comprova é o conteúdo divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira. 

Paulo Guedes não tem contas em redes sociais

A mensagem viralizada não poderia ter sido publicada pelo ministro da Economia, uma vez que Paulo Guedes não possui conta em nenhuma rede social. A informação foi confirmada ao Comprova pelo Ministério da Economia. Em 13 de junho, a pasta já havia publicado no Twitter um alerta com os endereços corretos das contas oficiais do ministério.

Além disso, as contas do alto escalão do governo no Twitter são verificadas e sinalizadas com um selo azul ao lado do nome do perfil —símbolo que não aparece na captura de tela viralizada.

Ao buscar a mensagem do suposto tuíte no Google, também não foi encontrado nenhum registro de que ela tenha sido dita por Paulo Guedes.

A mensagem com críticas ao Congresso atribuída a Guedes foi desmentida em 27 de junho pelo site Boatos.Org. De acordo com a checagem, o tuíte foi publicado pela conta @PauloGuedes1234. Atualmente, o perfil está suspenso e não é possível acessar seu conteúdo. Ainda é possível ver, contudo, as respostas à publicação.

 

O Comprova pesquisou no Wayback Machine e no Google Web Cache, sites que arquivam páginas da internet, mas não havia registros do tuíte deletado. Na imagem que viralizou no Facebook, o nome da conta está oculto.

Ao menos três tuítes da conta @PauloGuedes1234 foram compartilhados como se fossem do ministro da Economia. No dia 14 de junho, a Lupa verificou que era falsa uma publicação com críticas a Glenn Greenwald, com uma foto do jornalista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O Fato ou Fake checou o mesmo conteúdo três dias depois.

Em 25 de junho, a Lupa voltou a desmentir uma mensagem da conta, dessa vez criticando o “governo paralelo” do presidente da Câmara, Rodrigo Maia. A checagem informa que a conta @PauloGuedes1234 estava ativa desde maio.

A Agência Lupa verificou um terceiro tuíte atribuído a Guedes em 12 de julho, esse sobre o vazamento de conversas de integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato do Paraná. Quando o Estadão Verifica checou o mesmo conteúdo, no dia 29 do mesmo mês, o perfil falso do ministro havia sido suspenso.

Críticas de Guedes ao Congresso

A captura de tela do suposto tuíte de Guedes voltou a viralizar em 17 de setembro, em meio à votação de de projeto que altera a lei eleitoral. Apesar de não ser o responsável pelo tuíte viralizado, Guedes já criticou o Congresso em outras ocasiões, como durante a tramitação da reforma da Previdência. 

Depois da divulgação do relatório aprovado na Comissão Especial da Câmara, que previa uma economia menor do que a proposta inicialmente, Guedes afirmou que os parlamentares mostraram “que não há um compromisso com as novas gerações”.

Horas depois, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, reagiu chamando o governo de “usina de crises”. “Vamos aprovar a reforma da Previdência. Nós blindamos a reforma das crises que são geradas todos os dias pelo governo. Cada dia um ministério gerando uma crise”, disse ele na ocasião.

No final de junho, deputados ameaçaram esvaziar uma sessão da Comissão Especial da Câmara em reação a uma suposta fala de Guedes —ele teria se referido ao Congresso como uma “máquina de corrupção”. Na época, o ministro negou que tivesse usado a expressão naquele contexto. 

Com a aprovação da reforma, os ânimos entre Guedes e o Congresso esfriaram. Em agosto, o ministro da Economia parabenizou os deputados após aprovação da reforma em discurso ao plenário. “Vim aqui cumprimentar o excelente trabalho da Câmara, o excelente trabalho de coordenação pelo presidente Rodrigo Maia. Estou muito feliz com o apoio da Câmara dos Deputados”, disse.


Participaram da apuração deste texto AFP e O Estado de S. Paulo.

Projeto Comprova

O Comprova é uma coalizão de veículos jornalísticos que visa identificar, checar e combater rumores, manipulações e notícias falsas sobre políticas públicas. É possível sugerir checagens pelo WhatsApp da iniciativa, no número (11) 97795-0022.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.