Petróleo quem resolve é a Petrobras, diz Guedes

Ministério afirma que analisa impacto do ataque a refinaria sobre o mercado brasileiro

Bernardo Caram
Brasília

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta terça-feira (17) que quem resolve a questão de preço do petróleo é a Petrobras. Esta foi a primeira declaração do ministro após a disparada do valor do barril nesta semana.

Guedes participou de reunião com o presidente Jair Bolsonaro na tarde desta terça. Ao retornar ao Ministério da Economia, tentou driblar jornalistas que o aguardavam no acesso de autoridades do prédio.

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes durante café da manhã com o Deputado José Medeiros (PODE-MT) e bancada do Mato Grosso - Marcos Corrêa - 29.ago.19/PR

O ministro, porém, acabou sendo visto nos corredores da pasta, cercado de seguranças, caminhando em direção ao elevador privativo.

No curto trajeto, foi questionado em relação à variação de preços do barril de petróleo nos últimos dias. “Petróleo quem resolve é a Petrobras. Preço de petróleo, é a Petrobras”, respondeu.

Após ataques no sábado (14) a instalações petrolíferas na Arábia Saudita, o preço do barril iniciou a semana com forte alta, o que pode levar a uma elevação de preços dos combustíveis no Brasil.

No primeiro momento, a Petrobras decidiu não mexer nos preços dos combustíveis, sob o argumento de que era preciso avaliar a volatilidade do cenário.

Em nota, o Ministério da Economia se limitou a informar que está acompanhando os desdobramentos do ataque à refinaria na Arábia Saudita e analisando os impactos no mercado internacional e na economia doméstica.

Em abril, o valor de mercado da Petrobras teve forte queda após intervenção de Bolsonaro, que ordenou ao presidente da estatal, Roberto Castello Branco, a revogação do reajuste no preço do diesel horas depois de a medida ser divulgada.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.