Fiesp exibe bandeira da China em homenagem a 70 anos da revolução comunista

Entidade diz receber solicitações de países para exibir suas bandeiras em datas comemorativas

São Paulo

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) cobriu o icônico prédio de sua sede na avenida Paulista com a projeção da bandeira da China nesta terça-feira (1º) dia que o gigante econômico asiático comemorou o aniversário de 70 anos da revolução comunista.

A homenagem chamou a atenção porque a Fiesp é uma entidade que historicamente defende o capitalismo e a livre iniciativa. Iniciada em 1º de outubro de 1949, a revolução comandada por Mao Tsé-Tung levou ao poder o Partido Comunista Chinês (PCC), restringindo o direito de voto, de livre expressão e de propriedade.

Sede da Fiesp na Avenida Paulista com a projeção da bandeira da China em comemoração dos 70 anos da revolução comunista
Sede da Fiesp na Avenida Paulista com a projeção da bandeira da China em comemoração dos 70 anos da revolução comunista - Divulgação/Fiesp

A Fiesp informou à reportagem que recebe rotineiramente solicitações de países para exibir suas bandeiras em datas comemorativas e que atende a todos os pedidos, mediante autorização da Prefeitura de São Paulo, que restringe a divulgação de imagens dentro da Lei Cidade Limpa.

Além da China, a Fiesp também projetou recentemente as bandeiras do Uruguai (comemoração da independência), Japão (110 anos da imigração japonesa no Brasil), Itália (proclamação da república italiana), entre outros.

Nesta terça-feira (1) à noite, imigrantes chineses e descendentes podiam ser vistos tirando fotos com a fachada da Fiesp ao fundo.

A China é o principal parceiro comercial do Brasil. No ano passado, os exportadores brasileiros embarcaram US$ 66,68 bilhões (R$ 276,9 bilhões) em produtos para compradores chineses, o que significou quase 28% das vendas externas totais do país. Os principais produtos exportados são soja, minério de ferro e petróleo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.