Bolsonaro diz que três empresas deixarão Argentina e, uma hora depois, apaga publicação

Informação postada no Twitter do presidente repercutiu na imprensa do país vizinho

Buenos Aires

Os principais jornais argentinos estamparam como manchete na manhã desta quarta-feira (6), em suas páginas web, a postagem em uma rede social do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. 

A publicação feita no Twitter dizia: "MWM, fábrica de motores americanos; Honda, gigante dos automóveis; e L'Oréal anunciaram fechamento de suas fábricas na Argentina e sua instalação no Brasil", insinuando que a vitória do kirchnerismo seria a razão.

A notícia causou alarde na Argentina, sendo o destaque dos noticiários matutinos.

Imagem de um tuíte do presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro diz no Twitter que empresas deixarão Argentina e depois apaga - reprodução

No Clarín, o título principal, às 8 horas era: "Bolsonaro anunciou que três empresas fecham fábricas na Argentina para irem ao Brasil".

No La Nación: "Bolsonaro diz que três multinacionais fecham na Argentina". 

Em pouco mais de uma hora, porém, a postagem sumiu.

Ouvidas, as empresas negaram a informação. "A Honda não está fechando sua fábrica na Argentina, mas sim manterá suas operações no país como estava previsto. A partir de 2020, concentrará sua produção na linha de motocicletas. A divisão de automóveis também continuará no país com os modelos provenientes do exterior."

Já a fábrica de motores MWM Argentina, sim, fechou sua fábrica em Córdoba no mês passado, mas afirma que isso não tinha relação com a vitória do kirchnerismo nas eleições e que seriam mantidas, na Argentina, a assistência técnica e a distribuição de peças de reposição. 

A L'Oreál afirmou não ter previsto o fechamento de nenhuma fábrica na Argentina.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.