Warren Buffett considera surto de coronavírus assustador, mas diz que não venderá ações

Avanço da doença fora da China derrubou Bolsas nesta segunda (24)

Jonathan Stempel
Nova York | Reuters

Warren Buffett, presidente bilionário da Berkshire Hathaway, chamou o surto de coronavírus de “algo assustador” nesta segunda-feira (24), mas disse que as ações continuam sendo um bom investimento a longo prazo e que ele não venderá ações apesar da ameaça de uma pandemia.

Warren Buffett, CEO da Berkshire Hathaway
“É algo assustador”, afirmou Buffett, referindo-se ao surto. “Não acredito que isso deva afetar o que você faz nas ações”. - Rick Wilking/Reuters

Falando à CNBC, Buffett disse que os investidores com um horizonte de 10 a 20 anos e focados no poder de ganhos das empresas se sairão bem em ações.

“É algo assustador”, afirmou Buffett, referindo-se ao surto. “Não acredito que isso deva afetar o que você faz nas ações”.

Os mercados em todo o mundo caíram nesta segunda com a preocupação de como o surto global de coronavírus, que começou na China e se expandiu para países como Itália, Coreia do Sul e Irã, poderia prejudicar a economia global.

Buffett disse que os investidores não podem prever o desempenho de longo prazo do mercado observando as manchetes diárias.

Ele declarou que a Berkshire “certamente estaria mais inclinada” a comprar ações após uma liquidação, em um momento em que a economia dos Estados Unidos estava “forte, mas um pouco mais flexível” do que há seis meses.

“Se você olhar para a situação atual, obtém mais dinheiro em ações do que em títulos”, disse.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.