Bolsas sobem com pacote dos EUA e Dow Jones registra maior ganho em 3 dias desde 1931

Ibovespa tem terceira alta seguida e dólar cai para R$ 5,00

São Paulo

​Nesta quinta (26), as principais Bolsas globais tiveram o terceiro dia de alta com a aprovação do pacote americano de estímulo econômico de US$ 2 trilhões. A sequência positiva levou o Ibovespa, maior índice acionário do Brasil, e o índice Dow Jones, em Nova York, a subirem 3,67% e 6,4%, respectivamente, o que os fez sair, tecnicamente, do “bear market” (mercado do urso, numa tradução livre).

Entre analistas, a figura do urso é uma alusão ao movimento do mercado que derruba o preço dos ativos –ao contrário do touro "bull market", símbolo de Wall Street, que lança os preços para cima.

operador na Bolsa de Nova York
Nesta quinta (26), Ibovespa teve alta de 3,67%, a 77 mil pontos e o dólar caiu 0,67%, a R$ 5,00 - Xinhua/Michael Nagle

Uma Bolsa entra em bear market quando cai 20% abaixo do seu recorde recente e sai dele quando se valoriza 20% em relação à mínima recente.

O Ibovespa entrou em bear market em 9 de março e o Dow Jones, no dia 11, ambos atingido sua mínima recente na segunda (23). Nos últimos três dias, o índice brasileiro subiu 22%, indo a 77.709 mil pontos, e o americano, 21%.

A recuperação do Dow Jones foi a mais rápida da história, na maior alta em apenas três pregões desde 1931, de acordo com a Bloomberg. À época, o índice se recuperava da crise de 1929.

Segundo analistas, porém, a forte alta dos últimos três dias não representa uma mudança na tendência de queda do mercado, já que não há indício de declínio no avanço da Covid-19, que tem paralisado a economia global.

O índice S&P 500 e a Bolsa de tecnologia Nasdaq, que subiram 6,2% e 5,6% nesta quinta, ainda estão em bear market.

Os ganhos da sessão refletem a aprovação do projeto de lei trilionário no Senado americano na noite de quarta (25).

A medida para ajudar desempregados e indústrias afetadas pelo coronavírus, além de fornecer bilhões de dólares para a compra de equipamento médico, será votado na Câmara dos Deputados na sexta, para depois ser sancionada pelo presidente Donald Trump.

O avanço do socorro econômico ofuscou o número recorde de pedidos de seguro-desemprego nos EUA. Na semana passada, 3,28 milhões de trabalhadores americanos solicitaram o benefício dado o efeito da Covid-19 sobre a economia.

A marca põe um fim a 10 anos de expansão no nível de emprego no país. O recorde semanal anterior, de 695 mil, era de outubro de 1982.

O dado alarmante levantou a possibilidade de mais estímulos à economia. O presidente do Fed, banco central americano, Jerome Powell, disse nesta quinta que o banco irá agir "agressivamente" para manter empresas e famílias em atividade.

Investidores reagiram positivamente e a versão a risco diminuiu. A cotação comercial do dólar cedeu 0,67% e foi a R$ 5,00. O turismo está a R$ 5,20 na venda.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.