Descrição de chapéu Coronavírus

Doria diz que governadores contam com recursos federais para apoiar micro e pequenos empresários

Segundo governador de São Paulo, todos os governadores assinaram pedido de ajuda

São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta quinta-feira (26) que todos os estados brasileiros estão contando com a liberação de recursos federais para minimizar os impactos econômicos da pandemia do coronavírus.

Segundo ele, após a videoconferência realizada na quarta (25), os 26 governadores assinaram um pedido ao presidente Jair Bolsonaro para o que o governo federal ajude os estados.

O governador de São Paulo, João Doria - Governo do Estado de São Paulo

“A totalidade dos governadores do Brasil assinou carta, que está sendo encaminhada neste momento ao presidente Jair Bolsonaro, com a solicitação de recursos para os estados, justamente para priorizar os microempreendedores, as pequenas empresas e os mais vulneráveis", disse, em entrevista à imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

Esses recursos, segundo o governador, deverão atender micro e pequenos empresários e empreendedores, pessoas em situação de rua e quem estava fazendo bicos. Esses seriam aqueles em situação mais vulnerável.

Doria disse também que o governo de São Paulo tem priorizado apoiar financeiramente os pequenos empresários, mas que espera ajuda federal.

Neste mês, o governo paulista fez duas liberações de recursos para concessão de crédito subsidiado por meio da Desenvolve São Paulo e do Banco do Povo, num total de R$ 500 milhões.

Poderão solicitar o crédito empresas com faturamento entre R$ 81 mil e R$ 300 milhões por ano.

A taxa de juros da linha de capital de giro do Desenvolve São Paulo caiu de 1,43% para 1,20% ao mês. O prazo de pagamento passará de 36 para 42 meses. A carência passa de três para nove meses.

Na linha para investimento, a carência vai passar de 24 para 36 meses. A taxa de juros é de 0,25% ao mês.

O Banco do Povo vai operar com a taxa mínima mensal de 0,35% e também vai estender o prazo de pagamento com parcelamento em até 36 vezes. A carência cai de 60 para 90 dias.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.