Governo deve anunciar pacote de crédito a microempresas em breve, diz secretário

Uma das medidas em estudo pelo governo é a liberação de crédito por maquininhas de cartão

Brasília

O governo deve anunciar em breve medidas de estímulo ao crédito a microempresas durante a pandemia do novo coronavírus, informou nesta quarta-feira (15) o secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues.

Rodrigues disse que a equipe econômica trabalha em um pacote para ajudar donos de pequenos negócios, com faturamento bruto de até R$ 360 mil por ano.

"Tão logo nós tenhamos o desenho final será anunciado. E entendo que será em breve", afirmou.

Secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues; governo deve estimular crédito a microempresas
Secretário Especial de Fazenda, Waldery Rodrigues; governo deve estimular crédito a microempresas - Edu Andrade/Divulgação

O secretário foi questionado sobre a proposta de liberação de crédito por fintechs, como operadoras de maquininhas de cartão, que está em estudo pelo governo, como já declarou o ministro Paulo Guedes (Economia) e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Apesar do esforço do governo em retirar amarras do sistema bancário, Guedes avalia que os recursos estão ficando represados nas instituições financeiras, em vez de serem emprestados a empresários que passam aperto com a pandemia.

Pela ideia em estudo, as fintechs permitiriam que microempreendedores e pequenas empresas tenham acesso aos recursos de crédito.

As maquininhas são operadas por empresas como PagSeguro, Cielo e Stone, e permitem que empresários façam transações financeiras pela venda de produtos ou prestação de serviços.

Atualmente, é possível obter crédito pelas maquininhas de cartão, mas a ideia é que, com a crise econômica, o governo passe também a oferecer recursos públicos como garantia a essas operações.

Um primeiro passo foi dado após uma resolução do CMN (Conselho Monetário Nacional) que autorizou fintechs a usarem recursos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social).

A medida, no entanto, foi vista como insuficiente pelas empresas de maquininhas. Elas sugerem uma solução voltada ao crédito para as microempresas (até agora, as ações de crédito anunciadas pelo governo foram concentradas em empresas que faturam acima de R$ 360 mil por ano).

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.