Guedes troca Waldery por Funchal na Fazenda após desgaste no Orçamento

Membros do governo citam desgastes dentro e fora do ministério, acima e abaixo da hierarquia

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Brasília

O ministro Paulo Guedes (Economia) decidiu trocar o comando da Secretaria Especial de Fazenda após os desgastes nas discussões do Orçamento de 2021. Sai Waldery Rodrigues e entra Bruno Funchal, atual secretário do Tesouro Nacional.

De acordo com integrantes do governo, o trabalho executado pelo secretário especial desde o começo da gestão causou fadiga e desgaste na relação dele dentro e fora do ministério, acima e abaixo na hierarquia.

Jeferson Bittencourt, atual assessor especial de Guedes na interlocução com o Congresso, é o principal cotado para assumir a vaga de Funchal na secretaria do Tesouro. Ele é cogitado há muito tempo por Guedes para assumir um novo cargo em meio às mudanças que são estudadas há meses.

Informalmente, as movimentações são discutidas desde a saída de Mansueto Almeida, ex-secretário do Tesouro que já teve atritos com Waldery (o Tesouro é subordinado ao secretário de Fazenda).

O plano para as trocas se intensificou no episódio do "cartão vermelho" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) direcionado à equipe econômica após Waldery defender em entrevista o congelamento do reajuste para aposentados.

Waldery é visto pelo próprio ministro como alguém importante tecnicamente, além de um servidor dedicado e leal —nas palavras de interlocutores.

Por outro lado, já havia questionamentos sobre o desempenho de sua secretaria em diferentes episódios.

Waldery integra a equipe de Guedes desde o início do governo. A troca dele por Funchal ocorre após uma sequência de desgastes com o titular da pasta e com o Congresso.

Na visão de membros do governo, a troca não prejudicará o desempenho da pasta, pois, além de defender a preservação do teto de gastos, Funchal tem experiência em negociações com o Congresso.

Conforme mostrou a Folha, outra baixa na equipe é a saída de Vanessa Canado, assessora especial voltada à reforma tributária. Ela pediu demissão no mês passado e agora se prepara para encerrar seus trabalhos no Ministério da Economia.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.