Descrição de chapéu The New York Times

FBI confirma nome de grupo hacker responsável por ataque a oleoduto nos EUA

Anúncio do governo Biden sobre melhoras na infraestrutura de defesa cibernética é aguardado para os próximos dias

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

David E. Sanger Pranshu Verma
The New York Times

O FBI, serviço federal de Investigações dos Estados Unidos, confirmou nesta segunda-feira (10) que o grupo de hackers DarkSide é o responsável pelo ataque com “ransomware”, que fechou um oleoduto americano que transporta cerca de metade da gasolina e combustível de aviação consumidos na Costa Leste dos Estados Unidos.

A confirmação do ataque de hackers, que levou a reuniões de emergência na Casa Branca durante o fim de semana, ocorreu antes do anúncio pelo governo Biden, aguardado para os próximos dias, de uma ordem executiva para melhorar a infraestrutura de defesa cibernética dos Estados Unidos.

A Colonial Pipeline, a operadora do sistema, divulgou um comunicado nesta segunda afirmando que restaurar o serviço “vai exigir tempo”.

A companhia acrescentou que embora a situação “continue fluida e continue a evoluir”, os serviços serão restaurados gradualmente, com a meta de restaurá-los de forma “substancial” até o final desta semana.

Tanques da Colonial Pipeline em Nova Jersey, nos Estados Unidos - 9.mai.21/Reuters

Anne Neuberger, assessora assistente de segurança nacional para questões cibernéticas e tecnologias emergentes, declarou na tarde desta segunda que o governo acredita que o DarkSide seja “um agente criminoso”, mas que não está em busca de possíveis conexões entre o grupo e outros países.

Ela acrescentou que a Colonial Pipeline não solicitou apoio cibernético do governo, e não pôde confirmar se a companhia, de capital fechado, pagou resgate de alguma natureza.

O oleoduto da Colonial transporta 2,5 milhões de barris por dia, levando gasolina, diesel e combustível de aviação refinado da costa do Golfo do México ao porto e aos grandes aeroportos de Nova York.

A maior parte do combustível é armazenada em grandes tanques e, dada a queda no uso de energia causada pelo coronavírus, é improvável que o ataque cause qualquer desordenamento imediato.

Na sexta-feira (7), a Colonial Pipeline anunciou em um comunicado genérico que havia suspendido as operações de 8,8 mil quilômetros de seus oleodutos, que, segundo a empresa, carregam 45% do suprimento de combustível da Costa Leste americana, em um esforço para controlar o problema.

No começo do dia, houve incidentes ao longo do oleoduto, mas não estava claro, no momento em que ocorreram, se eles eram resultados diretos do ataque ou de medidas que a empresa adotou para impedi-lo ou detê-lo.

Analistas de energia alertaram que uma suspensão prolongada da operação do oleoduto poderia causar alta nos preços dos combustíveis em postos de gasolina da Costa Leste, e causar desabastecimento de combustível de aviação em alguns aeroportos menores.

Traduzido originalmente do inglês por Paulo Migliacci

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.