Descrição de chapéu Folhainvest

Ferrari fará recall de mais de 2.200 carros na China por problemas nos freios

Ações da Ferrari listadas em Milão caíam 3,1%, abaixo da queda de 1,7% do índice italiano

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Zhang Yan Brenda Goh Giulio Piovaccari
Xangai e Milão | Reuters

A fabricante de carros esportivos de luxo Ferrari fará recall de 2.222 carros na China devido a uma possível falha em seus sistemas de freios, disse o regulador do mercado chinês em comunicado nesta sexta-feira (22).

O recall abrange os modelos das séries 458 Italia, 458 Speciale, 458 Speciale A, 458 Spider, e 488 Spider, disse a Administração Estatal de Regulação do Mercado, e é para carros importados entre março de 2010 e março de 2019. O recall começará em 30 de maio.

Segundo a agência de notícias Reuters, o recall faz parte de uma ação mais ampla que a Ferrari está realizando globalmente pelo mesmo problema nos modelos produzidos no período, que também levou a montadora a concordar com uma campanha de recall nos Estados Unidos em novembro do ano passado.

Fotografia mostra um carro esportivo de luxo vermelho; homens observam o veículo em segundo plano
Uma Ferrari 488 GTB no Salão Internacional de Geneva, na Itália - Richard Jullart - 3.mar.15/AFP

Na indústria automobilística, os recalls e seus prazos são normalmente decididos pelas autoridades nacionais individuais depois que os problemas surgem ou são sinalizados pelo construtor.

A Ferrari disse que, após investigar o assunto junto de seu fornecedor Bosch, eles identificaram a causa do defeito nos veículos afetados em uma tampa do reservatório de fluido de freio que pode não ventilar adequadamente, criando potencialmente um vácuo dentro do reservatório.

"A segurança e o bem-estar de nossos clientes são nossa prioridade. Operamos de acordo com diretrizes rígidas de segurança e proteção para garantir que os sistemas e procedimentos corretos estejam sempre em vigor", disse a Ferrari.

Com base nos dados disponíveis no site da empresa, que datam até 2014, quando ainda fazia parte do grupo Fiat, a Ferrari vendeu ao todo cerca de 5.400 carros na região da Grande China, que inclui Hong Kong e Taiwan, entre 2014 e o ano passado. Pela manhã, as ações da Ferrari listadas em Milão caíam 3,1%, abaixo da queda de 1,7% do índice italiano FTMIB.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.