Saiba como transformar o seu empreendimento em uma franquia

Segundo associação, são necessários, em média, seis meses e R$ 80 mil para montar uma rede

Valdir Ribeiro Jr.
São Paulo

O crescimento de 7% do mercado de franquias no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período em 2018, pode animar empresários a transformar seu negócio em rede. É preciso, porém, muito planejamento para fazer isso, diz Ruy Barros, consultor do Sebrae-SP.

Formatar uma rede é como criar clones. Ou seja, é preciso ter certeza de que seu negócio pode ser replicado em qualquer lugar, com o mesmo padrão de qualidade. Para isso, é recomendável fazer um estudo com a ajuda de uma consultoria especializada.

Nassim Katri, em unidade de sua franquia de tintas em São Paulo
Nassim Katri, em unidade de sua franquia de tintas em São Paulo - Zanone Fraissat/Folhapress

É também um processo custoso e demorado. Segundo Sidnei Amendoeira, diretor institucional da ABF (Associação Brasileira de Franchising), são necessários, em média, seis meses e R$ 80 mil para montar uma franquia.

Esse valor cobre os processos operacionais, como a contratação de advogados, consultores e contadores. Os profissionais fazem análise de mercado, de contratos e são responsáveis por garantir o cumprimento das determinações da Lei de Franquias.

São eles, por exemplo, que devem elaborar a Circular de Oferta de Franquia, documento entregue a potenciais franqueados com todas as informações do negócio.

“Uma rede não pode ser feita por impulso, afinal o franqueador está lidando com o dinheiro de outros empresários”, afirma Barros.

Para Leila Oda, fundadora da franquia Terra Madre, que vende produtos orgânicos, contratar especialistas foi fundamental no sucesso da formatação da rede.

A empresa foi fundada em outubro de 2014 e já contava com a primeira unidade franqueada em novembro de 2015, a pedido dos clientes, que queriam lojas mais próximas de suas casas.

“Quando fomos montar a franqueadora, buscamos os melhores profissionais na área. O investimento foi alto, no total deu R$ 450 mil, mas são muitos detalhes, muitas minúcias, que precisam estar acertadas para a franquia funcionar bem”, diz. 

Hoje, a Terra Madre é composta por 13 lojas, espalhadas em sete estados. A meta é fechar 2019 com 25 lojas.

A transformação da loja Pinta Mundi Tintas em franquia também levou pouco mais de um ano, conta Nassim Katri, dono da rede. A empresa de tintas já existia há 25 anos e tinha seis lojas quando, em 2017, Katri pensou na expansão.

Ele tinha encontrado pontos comerciais bem localizados, que tinham sofrido queda no valor, mas não tinha capital para fazer a compra. Achou que, com franquias, poderia conseguir esse dinheiro.

“Percebi que poderia aumentar a marca, o volume de vendas e ocupar esses espaços disponíveis. Além disso, com mais unidades, poderia negociar com fornecedores e conseguir preços e prazos melhores”, diz ele.

Somente em abril de 2018 a Pinta Mundi Tintas abriu a sua primeira unidade franqueada. Hoje, a rede tem 15 unidades espalhadas pela Grande São Paulo. 

“Foi um processo longo, e eu tive que contratar profissionais especializados. Mas não tem outro jeito. Eu sabia vender tintas, não franquias”, diz Katri. O empresário planeja abrir mais dez unidades da rede ainda neste ano.

Katri expandiu a rede num bom momento: o setor de casa e construção foi o que mais cresceu no primeiro trimestre deste ano, segundo a ABF.

Também estão em alta setores como alimentação, comunicação, informática e eletrônica. De acordo com Barros, do Sebrae, essas áreas também apresentam menos complexidade para formatar uma franquia.

Ele alerta, porém, que é importante não confundir tendências com modismos. “Nós tivemos os sorvetes mexicanos recentemente: era uma moda, não uma tendência de mercado”, diz ele. “Um exemplo de tendência é a busca por produtos orgânicos e naturais, por exemplo, que é uma preocupação do consumidor que surgiu nos últimos anos e tem se perpetuado.”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.