Faça o teste e descubra que tipo de empreendedor é você

Entenda se você tem perfil idealista, nato, provedor, pragmático ou desbravador

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

No mundo dos negócios, muito se fala sobre a importância de se ter um perfil empreendedor, geralmente associado a pessoas proativas, arrojadas, que entendem as regras do mercado e sabem quando agir.

Mas será que só quem tem essas características pode empreender? Ou há espaço para vários tipos de perfil? É possível aprender a desenvolver uma visão empreendedora?

Para o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, a primeira pergunta que deve ser feita ao traçar o perfil de um empreendedor é o motivo pelo qual ele empreende. Se por necessidade ou por uma oportunidade de mercado.

“Isso faz muita diferença. Quando a economia ia bem, já chegamos a ter quase dois terços dos empreendedores brasileiros que o faziam por oportunidade. Já hoje, sem emprego, resta às pessoas empreender como forma de complementar a renda.”

Magneticmcc/Adobe Stock

Quem abre um negócio por necessidade tem seu perfil limitado por aspectos como falta de acesso à educação, à tecnologia ou a recursos financeiros, afirma Quick.

Já aqueles que o fazem por oportunidade costumam contar com melhor formação, além de mais recursos tecnológicos e monetários, o que permite estudar o mercado, criar um modelo diferenciado dos concorrentes e abrir a empresa com maior autonomia. Isso, em tese, aumenta as chances de ser bem-sucedido.

Adriana Barbosa, diretora-executiva da aceleradora e incubadora Pretahub e criadora da Feira Preta, maior evento de cultura e empreendedorismo negro da América Latina, conta que atende principalmente a três tipos de perfil.

O primeiro é formado por mulheres que não tiveram educação empreendedora, mas empreendem para conseguir pagar as contas. Outro, por quem teve acesso a estudo e encontrou uma oportunidade. E o terceiro é um misto dos dois: são pessoas que passaram por necessidade, mas que tiveram acesso à educação e querem criar uma empresa com um olhar social.

Para Barbosa, o empreendedorismo é possível para todo mundo, já que hoje há informação e redes de apoio disponíveis. Porém, quem já tem noções empreendedoras desde cedo larga com vantagem.

“Minha bisavó não frequentou escolas de negócios, era semianalfabeta, mas, quando decidiu vender coxinhas e marmitex, demonstrou grande sagacidade no processo de gestão. Tinha uma intuição que não se aprende na escola.”

Essas pessoas não são a maioria, diz Victor Xavier, gerente de aceleração de negócios da Endeavor Brasil. Segundo ele, boa parte dos empresários precisa estudar e se preparar para desenvolver uma visão e um comportamento favoráveis ao empreendedorismo.

Mas há algumas características essenciais que devem estar presentes para que a pessoa seja bem-sucedida, diz Xavier. As principais são resiliência, capacidade de aprender com os erros e grande ambição.

“É preciso estar inconformado para conseguir alguma coisa, mudar uma determinada realidade por meio da empresa”, afirma.

É como um inconformado que se define Guilherme Hernandez, 38, presidente da Kyte, plataforma online que dá suporte a pequenos vendedores de Florianópolis.

“Tenho um perfil crítico, de pensar sempre em como dá para fazer melhor. Eu me motivo por uma causa e, embora seja mais tímido que extrovertido, aprendi a controlar isso e me colocar em situações fora da zona de conforto”, diz o empresário.

Tatiana Silva, diretora-executiva do Fa.vela, que acelera negócios de moradores de comunidades de Belo Horizonte, também rejeita limitar o perfil empreendedor a um padrão.

A aceleradora promove ações e cursos de letramento empreendedor. “É uma educação que a gente não acessa no ensino formal. Ensinamos a entender o sistema, formalizar negócios, planejar, se comunicar, fazer a gestão contábil e desenvolver a liderança.”

Apesar de existirem perfis variados, ligados à vivência e personalidade de cada um, é possível agrupá-los de acordo com características em comum, dizem os especialistas.

O empreendedor desbravador, por exemplo, é aquele que abre um negócio para ser chefe de si mesmo. Sua principal motivação é aumentar seus ganhos em um curto prazo.

O idealista, por sua vez, quer mudar o mundo por meio da sua empresa. Mas, com isso, corre o risco de colocar a gestão em segundo plano.

Já o pragmático não quer perder dinheiro e, por isso, tem medo de promover mudanças e inovar, o que pode atrapalhar seu crescimento.

Há ainda o empreendedor nato, que desde cedo já tem tino para os negócios, e o provedor, que só começa a empreender porque precisa sustentar a casa.

Descobrir em qual desses perfis você se encaixa pode ajudar a entender quais são suas maiores fragilidades e qual é o melhor jeito de lidar com elas (faça o teste abaixo).

Alguns perfis podem ter desempenho melhor ou pior dependendo do tipo de negócio. Mas isso não é determinante, afirma Xavier. O principal, diz ele, é ter uma ligação com o setor de atuação. Senão, fica mais difícil prosperar.

A educadora aposentada Solange Laguna, 55, juntou a paixão que tem por cavalos à vontade de empreender para abrir o serviço de passeios a cavalo Recanto Paraíso, no sítio onde vive, em Parelheiros, extremo sul de São Paulo.

Ela fez cursos no Sebrae e abriu o negócio em novembro. “Fiz isso principalmente para mostrar que podia. Arregacei as mangas e fui à luta.”

Faça o teste e descubra qual perfil tem mais a ver com você

1. Por que você empreende?

a) Para pagar as contas e/ou ajudar a minha família
b) Porque empreender é algo que sempre sonhei em fazer
c) Porque quero trazer algum impacto para a sociedade
d) Porque quero mostrar que sou capaz
e) Porque quero ganhar mais dinheiro e fazer meu negócio crescer

2. Que formação você teve para empreender?

a) Tenho pouca educação formal, busco aprender conforme avanço
b) Não importa, porque sempre tive a capacidade dentro de mim
c)Tenho alto conhecimento sobre o que faço
d) Tenho formação, mas pouca educação específica para empreender
e) Tenho um alto nível de educação formal e capacitação na minha área de atuação

3. O empreendedorismo significa o que para você?

a) Uma chance de sair da dificuldade
b) Um sonho que tenho desde muito cedo
c) Uma possibilidade de mudar a realidade
d) Uma oportunidade de me provar
e) Uma forma de aumentar meus ganhos

4. Qual o principal objetivo do seu negócio?

a) Manter-me ativo e conseguir um retorno razoável no fim do mês
b) Buscar sempre novas oportunidades
c) Levar meu produto ou serviço para cada vez mais gente
d) Provar que a empresa é estável e confiável
e) Atrair mais recursos e potencializar o faturamento

5. Qual contexto abaixo se assemelha mais com você?

a) Renda mais baixa e poucas oportunidades de emprego
b) Tentativas anteriores de alavancar um negócio próprio e ter autonomia
c) Posição estável, que me permite arriscar empreender com o que gosto
d) Ambiente de trabalho pouco satisfatório
e) Emprego estável, com salário acima da média

6. Qual é sua principal dificuldade?

a) Conseguir recursos e informação sobre como manter o negócio
b) Falta de recursos para levar as muitas ideias para a frente
c) Falta de formação em gestão e planejamento
d) Falta de criatividade e novos investimentos
e) Incerteza sobre o retorno dos investimentos

7. Como você encara o risco?

a) Algo sempre presente, independentemente da minha vontade
b) Uma coisa que me mantém motivado
c) Um fator necessário para promover mudanças
d) Quanto menos, melhor
e) Um caminho que leva ao crescimento

De acordo com a letra que mais se repetiu nas suas respostas, veja qual é o seu perfil de empreendedor:

a) Provedor
Devido às circunstâncias de vida, você foi levado a empreender por necessidade como forma de pagar as contas, com pouco apoio e recursos para crescer. Buscar conhecimento e informação deve ser uma constante para ser bem-sucedido

b) Nato
Você é aquele empreendedor que desde jovem já tinha noções de negócios, ideias criativas e bolava formas de maximizar a mesada. Mas cuidado para não descuidar de questões importantes como planejamento e gestão

c) Idealista
Você quer trazer um grande impacto para a sociedade e a vida das pessoas por meio do seu produto ou serviço. Só não pode colocar suas ideias e metas acima da responsabilidade e do controle dos negócios

d) Pragmático
Você abriu seu negócio para se provar e busca mantê-lo da forma mais estável possível, com poucos riscos e sustos. Mas é bom lembrar que inovar e se destacar dos concorrentes são fatores essenciais em qualquer mercado

e) Desbravador
Você tem uma ótima formação e conhecimento na sua área e abriu a empresa com o objetivo de crescer e avançar sempre mais. No entanto, ainda falta experiência e é importante se planejar e estar atento aos obstáculos que possam surgir pelo caminho

Fonte: Endeavor, Sebrae, Adriana Barbosa (Pretahub e Feira Preta) e Tatiava Silva (Fa.vela)
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.