Avião comercial cai em montanha no Irã e deixa 65 mortos

O voo da Aseman Airlines saiu da capital Teerã e estava a 23 km do aeroporto

Teerã | Associated Press e Reuters

Um avião da companhia Aseman Airlines com 65 pessoas a bordo caiu no Irã neste domingo (18). A empresa diz que não há sobreviventes.

A aeronave, um turbo-hélice ATR-72, decolou do aeroporto de Teerã por volta da 1h30 (de Brasília) rumo à cidade de Yassuj, no sudoeste do país. E caiu no monte Dena, na cordilheira de Zagros, que tem cerca de 4.400 metros (14.435 pés) de altura e está a 780 km da capital.

O último contato da aeronave ocorreu por volta das 2h55, quando estava a 16.975 pés e descendo, segundo o site de rastreamento de avião Flight Radar 24. O piloto estava em contato com a torre neste momento, a cerca de 23 km do aeroporto de destino.

Familiares de passageiros iranianos do voo da Aseman, que caiu nas montanhas, se reúnem ao redor do aeroporto de Teerã
Familiares de passageiros iranianos do voo da Aseman, que caiu nas montanhas, se reúnem ao redor do aeroporto de Teerã AFP PHOTO / ATTA KENARE ORG - AFP

Por causa do mau tempo, com chuva forte e tempestade de neve, helicópteros de resgate não conseguiram identificar o local da queda, de acordo com Yalal Pooranfar, responsável do serviço nacional de resgate na região do acidente. As equipes de socorro, com cerca de 120 profissionais, foram enviadas para iniciar as buscas por terra.

O avião, construído em 1993, transportava 59 passageiros, dois seguranças, dois comissários de bordo, piloto e copiloto no momento da queda. A princípio, a companhia havia divulgado o número de 66 mortos, mas um dos passageiros não conseguiu pegar o voo.

O porta-voz da Aseman  Airlines, Mohammad  Taghi  Tabatabai, disse à TV estatal que todos a bordo do voo número EP3704 devem estar mortos. A empresa é a terceira maior a operar no país, atrás da Iran Air e MahanAir, e possui uma frota de 29 aeronaves seis são do modelo que caiu em Zagros.

Em outubro, a companhia informou que o turbo-hélice ATR-72, que estava havia sete anos aterrado, voltaria a operar após ser reparado e testado.

A Aseman registrou outro acidente em outubro de 1994, quando um avião da companhia caiu perto de Natanz, ao sul de Teerã, e deixou 66 pessoas mortas, segundo a Associated Press.

Após décadas de sanções internacionais, a frota iraniana é considerada envelhecida. Só em 2015, após o acordo nuclear com os países do Ocidente, o Irã assinou contratos com a Airbus e a Boeing para a compra de aviões comerciais e de peças para reparo e manutenção.

Ambulâncias e veículos de socorro ficam de prontidão em Semiron, na região em que caiu uma avião na manha deste domingo (18)
Ambulâncias e veículos de socorro ficam de prontidão em Semiron, na região em que caiu uma avião na manha deste domingo (18) - REUTERS

A fabricante europeu de aviões ATR, filial conjunta da Airbus e do grupo italiano Leonardo, afirmou que "as circunstâncias do acidente permanecem desconhecidas.

Em abril de 2017, a empresa fechou venda de 20 aeronaves, no valor de US$ 536 milhões, com a Iran Air. E a Boeing, com sede em Chicago, assinou acordo de US $ 3 bilhões para vender 30 aeronaves 737 MAX para a Aseman  Airlines.

Investigação

O líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei, e o presidente Hassan Rouhani enviaram mensagens de condolências às famílias e pediram ao Ministro do Transporte que inicie investigações sobre o caso.

Familiares dos passageiros foram reunidos em uma mesquita próxima ao aeroporto de Mehrabad.

 

O Irã sofreu uma série de grandes desastres de aviação nas últimas décadas. O último grande acidente no Irã aconteceu em janeiro de 2011, quando um Boeing 727, da Iran Air, tentou um pouso de emergência durante uma tempestade de neve no noroeste do Irã. O impacto matou pelo menos 77 pessoas.

Em julho de 2009, um avião de passageiros russo caiu no noroeste do Irã pouco depois de decolar de Teerã, matando todos os 168 a bordo. Em fevereiro de 2003, no sudoeste do país, um avião que transportava membros da Guarda Revolucionária caiu nas montanhas do sudeste do Irã, matando 302 pessoas.

Em fevereiro de 1993, um avião de passageiros iraniano com 132 pessoas a bordo colidiu com um jato da força aérea, matando todos nos duas aeronaves. 

Acidentes

Este foi o segundo acidente aéreo grave neste mês. No último domingo, um avião caiu na Rússia e deixou 71 mortos. Segundo estudo da Aviation  Safety Network, o ano de 2017 havia sido o mais seguro da história da aviação comercial. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.