Imprensa britânica identifica militar russo como acusado de envenenar espião

Nome verdadeiro do suspeito no caso contra Serguei Skripal não tinha sido revelado

Londres | Reuters

A imprensa britânica identificou nesta quarta-feira (26) o coronel russo Anatoliy  Vladimirovitch  Chepiga como um dos homens acusados por Londres de ser o responsável pelo envenenamento do ex-espião Serguei Skripal e de sua filha. 

No início do mês autoridades britânicas acusaram dois russos, Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, pelo ataque, mas alertaram que seus nomes provavelmente eram falsos, usados apenas para que eles entrassem em território britânico sem chamar a atenção. 

De acordo com as informações, Boshirov seria Chepiga, um herói de guerra russo que lutou na Tchetchênia e na Ucrânia. A identidade de Petrov não foi revelada. 

Ruslan Boshirov (dir.), agora identificado como o coronel Anatoliy Vladimirovitch Chepiga, ao lado do outro acusado, Alexander Petrov, durante emtrevista para a TV russa
Ruslan Boshirov (dir.), agora identificado como o coronel Anatoli Vladimirovitch Chepiga, ao lado do outro acusado, Alexander Petrov, durante emtrevista para a TV russa - 13.set.18/Russia Today/AFP

Serguei Skripal e sua filha Iulia foram encontrados desacordados no início de março em um banco na cidade inglesa de Salisbury após serem envenenados por Novitchok, um agente neurotóxico de origem soviética.  

Na ocasião o governo da Rússia afirmou que os dois não tinham ligação com militares. Em entrevista os acusados afirmaram serem simples turistas que visitaram Londres e que foram para Salisbury apenas para conhecer a catedral do local. 

Assim, uma possível confirmação de que o homem acusado é um militar russo reforçaria a posição da primeira-ministra Theresa May, que culpa Moscou pelo episódio —a informação é negada pelo presidente Vladimir Putin.

A disputa entre os dois gerou uma crise diplomática entre a Rússia e o Ocidente. 

O site Bellingcat foi o primeiro a revelar a identidade de Chepiga nesta quarta, informação que depois foi divulgada também pelo jornal The Daily Telegraph e pela rede de TV BBC. 

Segundo a agência Reuters, agentes de segurança europeus confirmaram que o nome de Chepiga pode estar ligado ao caso e que o governo britânico já sabia seu verdadeiro nome. 

Até o momento nem a polícia britânica e nem o governo russo comentaram a nova revelação. 

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.