Miss é quarta mulher a acusar ex-presidente da Costa Rica de agressão sexual

Segundo Yazmin Morales, caso ocorreu em 2015; Oscar Arias diz que não vai se pronunciar

A Miss Costa Rica Yazmin Morales se tornou nesta sexta-feira (8) a quarta mulher a acusar o ex-presidente e Nobel da Paz Oscar Arias de agressão sexual.

O caso, segundo Morales, aconteceu em 2015, quando Arias a "agarrou" em sua casa em San José, capital da Costa Rica.

O ex-presidente da Costa Rica Oscar Arias, em San José - Ezequiel Becerra - 11.ago.17/AFP

"Ele me agarrou, se aproximou do meu corpo de maneira forçosa, com uma de suas mãos tocou meus seios por sobre a roupa e me beijou contra a minha vontade", afirmou.

"Fiquei em choque. Não esperava algo assim de alguém tão bem conhecido e que eu admirava tanto."

Gloriana Valladares, advogada de Arias, afirmou ter recebido cópia da nova acusação após ter conhecimento dela pela imprensa. Ela disse que Arias, 78, não iria comentar os casos em respeito ao devido processo. 

A ativista e médica Alexandra Arce foi a primeira mulher a acusar o ex-presidente de agressão sexual, único caso sobre o qual Arias se pronunciou, negando-o.

Arias venceu o Nobel da Paz por seu papel de negociador do fim da guerra civil na América Central.Apenas Arce e Morales denunciaram o ex-presidente formalmente à Justiça. As outras acusações foram feitas pelas jornalistas Eleonor Antillón, por um caso em 1986, e Emma Daly, por um caso em 2001.

Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.