Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Líder do governo no Senado diz ter maioria para aprovar indicação de Eduardo como embaixador

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) diz trabalhar por apoio a filho do presidente

Daniel Carvalho
Brasília

Apesar das críticas de opositores e aliados, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), disse nesta terça-feira (16) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem maioria na Casa para aprovar a indicação de seu filho Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) a embaixador do Brasil nos EUA.

A indicação de embaixadores tem de passar pelo Senado, em duas etapas. Primeiro, em caráter consultivo, há uma sabatina e uma votação na CRE (Comissão de Relações Exteriores). Aprovado ou rejeitado, o nome do indicado vai ao plenário do Senado.

O deputado Eduardo Bolsonaro - Pedro Ladeira - 15.jul.19/Folhapress

"O governo tem maioria no Senado. Essa maioria já foi testada em duas ocasiões, e o governo obteve 54, 55 votos. Então, apesar de toda a polêmica e o debate em torno desta indicação, ela ainda não foi formalizada, mas se for formalizada o governo tem votos para aprovar tanto na comissão como no plenário", disse Bezerra.

O líder do governo no Senado disse ter conversado com Bolsonaro sobre o assunto na noite de segunda-feira (15) e na manhã desta terça. Bezerra disse que o presidente está "muito inclinado" a formalizar a indicação. Pela manhã, o próprio presidente disse que, por ele, a formalização está definida.

Como a Folha mostrou nesta terça, Bolsonaro iniciou nos bastidores movimento para avaliar as chances de aprovação pelo Senado.

Até mesmo senadores mais alinhados à pauta governista, como o senador Marcos do Val (Cidadania-ES), têm dado declarações contrárias à indicação. Mesmo assim, Bezerra mantém discurso otimista.

"Estamos cuidando para que, se esta indicação for formalizada, o presidente poder ter o apoio para sua indicação tanto na Comissão de Relações Exteriores como no plenário. Acho que, se o presidente indicar, vai levar a indicação", afirmou Coelho.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.