Descrição de chapéu The New York Times

Facebook suspende robô de campanha de Netanyahu por discurso de ódio

Conta oficial do premiê de Israel usou perfis automatizados para publicar mensagem contra políticos árabe-israelenses

Jerusalém | The New York Times

O Facebook suspendeu nesta quinta-feira (12) um robô operado pelo perfil oficial do primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, por violar suas regras sobre discurso de ódio.

A ferramenta foi usada pela campanha do político israelense para publicar uma mensagem que afirmava que os políticos árabe-israelenses "querem destruir todos nós". 

Conhecido como "chatbot", o software emula conversas humanas, passando-se por perfis de pessoas reais. Neste episódio, a ferramenta criou uma notificação para os seguidores da página oficial de Netanyahu na rede social.

Homem passa por anúncio eleitoral com o retrato de Binyamin Netanyahu em Tel Aviv
Homem passa por anúncio eleitoral com o retrato de Binyamin Netanyahu em Tel Aviv - Jack Gues - 3.abr.2019/AFP

O texto, divulgado sob o nome de um voluntário da campanha de Netanyahu, buscava angariar apoio para o partido do atual premiê, o Likud, dias antes da eleição programada para a próxima terça-feira (17).

A mensagem convocava apoiadores de Bibi, como ele é conhecido, a comparecerem às urnas para evitar o surgimento de um "perigoso governo de esquerda", cujos líderes seriam apoiados por políticos árabe-israelenses "que querem destruir todos nós, mulheres, crianças e homens, e viabilizar um Irã com poderes nucleares que nos exterminaria".

O voto é facultativo em Israel.

O episódio ocorre em meio a uma campanha disputada na qual Netanyahu tem atacado partidos árabes.

Ele tem defendido a instalação de câmeras de segurança dentro dos locais de voto com a justificativa de coibir fraudes eleitorais.

Analistas avaliam que a medida seria uma forma de intimidar os eleitores árabes do país e comparam a demanda do premiê a uma tática usada por ele nas eleições de 2015, quando afirmou que os eleitores árabes estavam comparecendo às urnas em peso. 

A suspensão feita pelo Facebook durará 24 horas, contadas a partir das 10h30 desta quinta no horário local (4h em Brasília), e atingiu apenas o robô —a página do primeiro-ministro continua no ar.

Em um comunicado, a rede social afirmou que realizou uma "revisão minuciosa" que identificou uma "violação da nossa política sobre discurso de ódio". "Caso haja outras violações, continuaremos a tomar as medidas necessárias."

Netanyahu responsabilizou um membro de sua equipe pela elaboração da mensagem, afirmando que ele não tinha visto o texto antes de seu envio e que ordenou que fosse retirado.

"Este erro foi consertado imediatamente. Eu não escrevi [a mensagem]", disse o premiê durante entrevista a uma rádio.

"Você realmente acredita que eu escreveria uma coisa dessas e depois negaria? Sou uma pessoa séria. Nem tudo na página da minha campanha é editado por mim."

​Ayman Odeh, líder da lista conjunta de partidos predominantemente árabes, afirmou que sua equipe fez um alerta ao Facebook sobre a mensagem e exigiu que medidas fossem tomadas contra o que chamou de "incitação racista e perigosa de Netanyahu contra os árabes". 

No ano passado, o Facebook suspendeu durante 24 horas a conta do filho mais velho do primeiro-ministro, Yair Netanyahu, por mensagens antimuçulmanos e antipalestinos que configuravam discurso de ódio, segundo a empresa. 

A rede social removeu as publicações, que geraram muitas reclamações. Posteriormente, ele repostou uma imagem que reproduzia uma das mensagens. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.