Embaixada dos EUA pede que cidadãos deixem o Iraque imediatamente

Anúncio foi feito após críticas de autoridades iraquianas ao ataque em Bagdá

Bagdá | Reuters

A embaixada dos Estados Unidos em Bagdá pediu a todos os cidadãos que deixem o Iraque imediatamente, horas depois que os EUA mataram o general iraniano Qassim Suleimani e o comandante da milícia iraquiana Abu Mahdi al-Muhandis em um ataque aéreo.

"Devido ao aumento das tensões no Iraque e na região, a Embaixada dos EUA pede aos cidadãos americanos que sigam o Aviso de Viagem de janeiro de 2020 e saiam do Iraque imediatamente. Os cidadãos dos EUA devem partir via companhia aérea sempre que possível, e, na sua falta, para outros países via terra", disse o comunicado.

Embaixada dos EUA em Bagdá, que foi local de protestos, pediu que cidadãos deixem o Iraque após o bombardeio no aeroporto da capital iraquiana
Embaixada dos EUA em Bagdá, que foi local de protestos nos últimos dias, pediu que cidadãos deixem o país após bombardeio no aeroporto da capital iraquiana - Ahmad Al-Rubaye/AFP

A orientação vem após autoridades do Iraque reagirem ao ataque dos EUA ao aeroporto de Bagdá.

O primeiro-ministro iraquiano Adel Abdul Mahdi condenou a morte de Suleimani e Mahdi al-Muhandis. O ataque aéreo no aeroporto de Bagdá é um ato de agressão ao Iraque e quebra de sua soberania que levará a guerras no Iraque, na região e no mundo, disse ele.

"O ataque também violou as condições da presença militar dos EUA no Iraque e deve ser respondido com legislação que garanta a segurança e a soberania do Iraque", acrescentou. O primeiro-ministro convocou o parlamento a se reunir em uma sessão extraordinária.

Já o comandante da milícia iraquiana, Qais al-Khazali, apoiado pelo Irã, ordenou na sexta-feira que seus combatentes estivessem em alerta máximo para uma próxima batalha e disse que a presença militar dos EUA no Iraque terminaria em breve. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.