Proibido de deixar Venezuela, Guaidó vai a Bogotá para reunião com Duque e Pompeo

Imprensa venezuelana diz que líder do parlamento poderá seguir para Davos; assessoria não confirma

Buenos Aires

O líder da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino do país por mais de 50 países, chegou neste domingo (19) a Bogotá, onde tem marcadas reuniões com o presidente colombiano Iván Duque e o secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, na segunda-feira (20).

Guaidó também deve participar de um encontro de luta contra o terrorismo, que ocorrerá nesta semana na capital colombiana. 

Juan Guaidó em discurso nas ruas de Caracas, na Venezuela
Juan Guaidó em discurso nas ruas de Caracas, na Venezuela - Yuri Cortez/AFP

Até a publicação desta reportagem, não havia informações sobre como o venezuelano havia saído da Venezuela — em outra ocasião, em fevereiro de 2019, quando foi para a cidade colombiana de Cúcuta, ele atravessou a fronteira de modo ilegal. 

Guaidó tem sua saída do país proibida pela ditadura de Nicolás Maduro, e pode ser preso ao tentar voltar. 

Veículos independentes da Venezuela publicaram que Guaidó poderia seguir daí a Davos, onde começará na segunda-feira (20) a 50ª edição do Fórum Econômico Mundial. A assessoria de imprensa do líder opositor afirma que sua agenda no exterior só será confirmada na segunda-feira (20).

O líder opositor chega à Colômbia após enfrentar uma tentativa da ditadura de tomar a liderança da Assembleia Nacional, no dia 5 de janeiro. 

Na ocasião, aliados de Maduro barraram sua entrada para a votação que o reelegeria, e colocaram em seu lugar um colaborador, Luis Parra.

Guaidó conseguiu refazer a sessão logo depois, em outro local, e obteve mais de 100 votos de deputados opositores, que permitiu com ele fosse reeleito como líder do parlamento.

 
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.