Descrição de chapéu Eleições EUA 2020

Biden mantém bom desempenho e vence prévias na Flórida, em Illinois e no Arizona

Votação ocorre em meio a medidas de contenção por causa da pandemia de coronavírus

São Paulo

O ex-vice-presidente Joe Biden venceu as três prévias disputadas nesta terça-feira (17), na Flórida, em Illinois e no Arizona.

Com isso, avançou mais algumas casas para se distanciar de seu adversário, o senador por Vermont Bernie Sanders, na corrida pela indicação democrata à vaga de opositor de Donald Trump na eleição presidencial em novembro.

A expectativa da campanha de Sanders era ao menos diminuir a diferença entre o número de delegados entre os dois e, assim, garantir sua continuidade na disputa até a próxima rodada de primárias.

No entanto, o plano falhou. A vantagem de Biden, que era de 153 delegados, deve dobrar e se aproximar de 300.

Biden e Sanders se cumprimentam em debate no domingo (15) com os cotovelos por causa da pandemia de coronavírus
Biden e Sanders se cumprimentam em debate no domingo (15) com os cotovelos por causa da pandemia de coronavírus - Mandel Ngan - 15.mar.2020/AFP

Por volta das 7h45, no horário de Brasília, os dados parciais da apuração apontavam que Biden levaria 249 delegados nesta rodada, contra 116 de Sanders. Com isso, o ex-vice durante as duas gestões de Barack Obama somaria 1.147 na corrida geral, e o senador por Vermont, 861.

São necessários 1.991 delegados para conquistar a nomeação.

Na manhã desta terça (18), o chefe de campanha de Sanders, Faiz Shakir, disse que o senador terá conversas com seus apoiadores para avaliar as ações seguintes. A próxima primária será daqui a três semanas.

Uma vez que o voto é facultativo, uma das preocupações das duas campanhas na noite de terça era com o impacto que um baixo comparecimento, motivado pela pandemia de coronavírus, poderia ter nos resultados.

Em Chicago, maior cidade de Illinois, por exemplo, cerca de 482 mil pessoas votaram, contra 680 mil em 2016.

Na Flórida, no entanto, o comparecimento foi de 2 milhões de pessoas, 300 mil a mais do que em 2016, de acordo com uma pesquisa divulgada pela Reuters.

​Ohio, que tem 136 delegados, cancelou sua votação desta terça por causa do risco de contágio do novo coronavírus. Assim como Louisiana e Kentucky, o estado adiou as prévias para junho.

A Geórgia também remarcou sua primária por causa da pandemia —de 24 de março para 19 de maio.

As campanhas dos dois pré-candidatos também têm tido cautela. Eventos foram cancelados, e os últimos discursos foram feitos por videoconferência. Sanders, 78, e Biden, 77, fazem parte do grupo de risco dos idosos.

"É em momentos como este que temos que colocar a política de lado. O vírus não se importa se somos democratas ou republicanos", disse Biden após a divulgação dos primeiros resultados.

As medidas que têm sido adotadas contra o coronavírus põem em dúvida a realização das próximas votações —é provável que mais estados também adiem suas prévias, principalmente se autoridades decretarem isolamento ou banirem aglomerações.

Ligado à ala mais à esquerda do partido, o senador Bernie Sanders tem tido resultados modestos nas votações recentes.

Na última rodada de prévias, ele venceu apenas na Dakota do Norte, um estado com 14 delegados, dos quais ele levou 8.

Biden venceu em Michigan, o estado com o maior número de delegados (125), e nos outros quatro que também estavam em jogo: Idaho, Mississippi, Missouri e Washington.

O balanço do debate do último domingo foi favorável a Biden, que se mostrou mais incisivo do que em outras participações e adotou o tom conciliatório que tem sido a marca de sua plataforma.

Desde que o ex-vice venceu na Carolina do Sul, em 29 de fevereiro, sua campanha vem em movimento crescente.

Após aquela votação, outros importantes nomes da corrida desistiram de suas candidaturas e passaram a apoiá-lo —entre eles, a senadora por Minnesota Amy Klobuchar, o ex-prefeito de South Bend Pete Buttigieg e o ex-prefeito de Nova York Michael Bloomberg.

Com a consolidação do establishment do partido em torno do ex-vice de Obama, a disputa pela nomeação democrata repete o modelo daquela de 2016: de um lado, o socialista Sanders, com um eleitorado jovem e bastante fiel; de outro, em vez de Hillary Clinton, Joe Biden, com uma plataforma moderada na qual o partido aposta para atrair o voto dos estados-pêndulo.

Outro fator que tem contribuído para o sucesso de Biden é ser visto por grande parte da legenda e do eleitorado americano como o candidato com as melhores chances de derrotar Donald Trump.

Do lado republicano, o presidente conquistou oficialmente nesta terça a nomeação de seu partido para disputar a reeleição neste ano graças ao bom resultado na Flórida. Com os 122 delegados que somou no estado, confirmou seu nome na disputa.

Embora muito improvável, ainda havia espaço, em tese, para que outro nome levasse a nomeação.

Com New York Times e Reuters

Erramos: o texto foi alterado

Uma versão anterior deste texto afirmava incorretamente que Chicago é a capital de ​Illinois, quando na verdade é a maior cidade do estado. A capital é Springfield.​ 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.