Dois americanos e um britânico morrem após ataque a base no Iraque

Autoria da ação é desconhecida; ao menos dez pessoas ficaram feridas

Washington | Reuters

Dois americanos e um britânico morreram nesta quarta-feira (11) após um ataque à base militar Taji, ao norte de Bagdá, no Iraque. Outras dez pessoas ficaram feridas.

As autoridades disseram ser muito cedo para determinar os responsáveis pela ofensiva, mas que qualquer indício de que as milícias apoiadas pelo Irã estivessem por trás do ataque poderia desencadear uma nova escalada militar entre os Estados Unidos e o Irã.

Ruínas da base aérea militar de Ain al-Asad
Ruínas da base aérea militar de Ain al-Asad, na província iraquiana de Anbar, depois do ataque de mísseis iranianos em janeiro - Ayman Henna - 8.jan.20/AFP

Os oficiais, sob condição de anonimato, recusaram-se a quantificar o número de soldados e seguranças privados entre os mortos e feridos. Eles também afirmaram que tinham recebido apenas informações preliminares. Relatórios iniciais da zona de conflito geralmente contêm imprecisões.

Grupos paramilitares apoiados pelo Irã têm regularmente disparado e bombardeado bases no Iraque que hospedam forças dos EUA e a área em torno da embaixada dos EUA em Bagdá.

A milícia Kataib Hizbullah foi responsabilizada por um ataque a uma base no ano passado que matou um segurança privado contratado pelas Forças Armadas americanas, o que levou a relatiações contra o grupo no Iraque e na Síria.

Em janeiro deste ano, 11 mísseis balísticos iranianos atingiram a base aérea de al-Asad no Iraque depois que os Estados Unidos mataram um importante general iraniano. O ataque iraniano deixou mais de cem militares americanos com lesões cerebrais traumáticas leves.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.