Descrição de chapéu Escuta Aqui

Podcast de Michelle Obama une impacto midiático e sensação de intimidade com a família

Marido e ex-presidente foi primeiro convidado do programa que estreou nesta quarta (29)

Washington

A foto em preto e branco apresenta Michelle e Barack Obama descontraídos, sentados em duas poltronas de uma sala que acreditamos ser na casa deles.

Michelle está de short e descalça, de frente a um Obama sorridente, que veste uma camisa meio amarrotada e sapatos sem meia.

Os microfones, de fio aparente, terminam de emoldurar o cenário em que —segundo a imagem de divulgação— foi gravado o primeiro episódio do podcast da ex-primeira-dama dos EUA.

"The Michelle Obama Podcast" estreou nesta quarta-feira (29) e teve o ex-presidente como convidado, em mais um exemplo de como o casal que passou oito anos na Casa Branca consegue unir impacto midiático com sensação de intimidade.

Barack e Michelle Obama conversam durante a gravação do novo podcast da ex-primeira-dama
Barack e Michelle Obama conversam durante a gravação do novo podcast da ex-primeira-dama - Twitter/Divulgação

Logo no início do programa, Michelle diz que vai repetir com o marido parte das conversas que os dois têm tido em casa, durante os tempos de pandemia, mas decepciona quem de fato espera mais acesso à privacidade do casal.

As histórias sobre como a criação e a vida em comunidade formaram o caráter e guiaram as decisões dos Obama fogem pouco do que Michelle já havia divulgado em seu livro de memórias, "Minha História" (2018), e no documentário de mesmo nome que estreou neste ano na Netflix.

"Revisitei minha época de Casa Branca, claro, mas fui ainda mais fundo. Olhei para trás, para todo o arco da minha vida", explica a ex-primeira-dama sobre esta temporada do podcast, que terá nove episódios —o projeto é uma parceria entre o Spotify e a Higher Ground, produtora fundada pelos Obama.

"Você vai me ouvir conversando com algumas das pessoas de quem sou mais próxima, minha mãe, meu irmão, amigos e colegas", segue Michelle.

Entre os convidados, também estarão o apresentador de talk show Conan O'Brien e uma das ex-consultoras sênior de Obama, a empresária Valerie Jarrett.

"Quero começar no nível mais básico: discutindo as relações que fizeram a gente ser quem a gente é", completa a anfitriã antes de anunciar o marido.

Então, rompe-se um bate-papo agradável, que dura quase 50 minutos. "Obrigado por me receber no seu podcast", diz o ex-presidente. "No caso de você não reconhecer essa voz, esse é meu marido, Barack Obama", completa Michelle.

Os dois gargalham, assim como em diversas vezes na conversa que aparenta correr solta, como se não houvesse roteiro.

Mas há. Michelle e Barack seguem uma espécie de cronologia controlada para falar sobre suas formações familiares e passagens por universidades de elite —ambos estudaram direito em Harvard, uma das mais prestigiosas dos EUA— até desembocarem na defesa da justiça social, com o assassinato de George Floyd, e na importância do engajamento político dos jovens.

O diálogo é dinâmico, os dois são muito bons de retórica, mas deixam escapar momentos que revelam alguma encenação.

Em um deles, Michelle diz que se apaixonou pelo marido porque ele é "guiado pelo princípio de que somos todos irmãos e irmãs, guardiões uns dos outros [...] E eu também fui criada assim".

Em outro, este mais natural, Michelle diz que suas filhas, Sasha e Malia, a tiram do sério —"e elas sabem disso"— quando adotam uma postura mimada, que ela mesma adotava quando criança, ao pedir algo diferente (e aparentemente melhor) do que aquilo que estão fazendo. "Como pode nunca estarem satisfeitas?"

A política nacional é tratada de forma ampla, apenas tangenciando a eleição presidencial de novembro. Não são citados os nomes de Donald Trump e de seu adversário, o democrata Joe Biden, que foi vice de Obama e de quem o ex-presidente é um dos principais cabos eleitorais.

O debate passa por alternativas ao difícil cenário americano e é ali que Michelle, sempre bem humorada, escancara o pragmatismo que faz questão de mostrar que guiou sua vida até então.

"No fim, acho que as pessoas vão fazer a coisa certa", diz Obama, ressaltando que pode ser possível aprender antes que o quadro fique "muito, muito ruim".

Michelle rebate, aos risos: "Você é o eterno otimista, o 'yes, we can, man' [...] Espero que a gente faça mesmo alguma coisa antes de bater contra o sol. Estamos chegando perto".

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.