Descrição de chapéu Coreia do Norte

Coreia do Norte faz desfile militar com novos mísseis e soldados sem máscaras

Evento traz projéteis pela primeira vez desde que Kim Jong-un passou a se reunir com líderes internacionais

Seul | AFP e Reuters

A Coreia do Norte realizou neste sábado (10) um desfile militar com um míssel balístico de longo alcance "monstro", soldados sem máscara e veículos blindados em evento que marca os 75 anos do Partido Comunista na Coreia do Norte. As imagens foram transmitidas pelo canal público KCTV.

Analistas afirmam que a arma seria um dos maiores mísseis balísticos intercontinentais móveis do mundo, caso se torne operacional. Ela foi apresentada junto com o que parecia ser um novo míssil balístico lançado por submarino, de acordo com especialistas.

É a primeira vez que o evento apresenta esse tipo de armamento desde que o ditador Kim Jong-un começou a se reunir com líderes internacionais, incluindo o presidente dos EUA, Donald Trump, em 2018 —com a intenção de resolver a crise em relação ao programa nuclear e de mísseis norte coreano.

A reprodução de imagens transmitidas pelo canal de TV norte-coreano mostra mísseis durante um desfile militar no país
A reprodução de imagens transmitidas pelo canal de TV norte-coreano mostra mísseis durante um desfile militar no país - KCNA/AFP

Trump e Kim se encontraram três vezes, a primeira delas em um evento histórico, em junho de 2018, em Singapura. As negociações sobre a desnuclearização do país asiático, no entanto, passam por uma estagnação desde o segundo encontro, em fevereiro de 2019.

A agência de notícias estatal afirmou que a autoridade e a segurança da Coreia do Norte dependem das "enormes forças nucleares estratégicas" mostradas no desfile. Além do míssil "monstro", transportado em um veículo com 11 eixos, e do míssil balístico lançado por submarino, também foi exibido o Hwasong-15, o míssil de maior alcance já testado pela Coreia do Norte.

O evento, que também inclui festivais e concertos, é visto como uma oportunidade para Kim enviar mensagens para a comunidade internacional. “Continuaremos a construir nosso poder de defesa nacional”, disse o ditador, acrescentando, porém, que o poder militar do país não será usado em ações preventivas. Ele não fez menções aos Estados Unidos ou às conversas sobre desnuclearização.

Reprodução de imagem da rede estatal de TV norte-coreana mostra Kim Jong-un em discurso durante desfile militar
Reprodução de imagem da rede estatal de TV norte-coreana mostra Kim Jong-un em discurso durante desfile militar - KCNA/AFP

Kim culpou sanções internacionais, tufões e o coronavírus por impedi-lo de cumprir suas promessas econômicas. "Estou envergonhado em nunca retribuir a vocês a enorme confiança”, afirmou em um discurso que teve, por vezes, momentos emotivos. “Meus esforços e devoção não foram suficientes para tirar nosso povo de dificuldades”, disse.

As imagens mostraram Kim aparecendo assim que o relógio bateu meia-noite. De terno cinza e gravata, ele acenou à multidão e ganhou flores de crianças enquanto estava acompanhado de militares na praça Kim Il-sung. Segundo a agência de notícias Reuters, ninguém presente no desfile parecia usar máscaras.

O líder norte-coreano disse estar satisfeito já que, segundo ele, nenhuma pessoa do país foi infectado pelo coronavírus. O país fechou suas fronteiras há oito meses para evitar a disseminação da doença.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.