Descrição de chapéu Governo Trump Coreia do Norte

Em cartas, Kim Jong-un descreve relação com Trump como 'filme de fantasia'

Jornalista teve acesso a correspondências trocadas entre líderes e escreveu novo livro sobre bastidores da Casa Branca

Seul | AFP

Um novo livro sobre Donald Trump promete relatar bastidores da Casa Branca "com detalhes impressionantes" sobre as decisões do presidente dos Estados Unidos. Entre as revelações, estão 25 cartas pessoais trocadas entre o líder americano e Kim Jong-un, ditador da Coreia do Norte.

Em uma das correspondências, Kim descreve o vínculo com Trump como saído de um "filme de fantasia", de acordo com a descrição do livro "Rage" (raiva), que tem lançamento previsto para 15 de setembro.

O autor é Bob Woodward, repórter e editor no jornal americano The Washington Post e duas vezes vencedor do prêmio Pulitzer: uma pela cobertura junto com Carl Bernstein do escândalo de Watergate, que provocou a renúncia do presidente Richard Nixon em 1974, e a segunda pela cobertura dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

Donald Trump e Kim Jong-un durante encontro em Hanói, no Vietnã - Saul Loeb - 27.fev.19/AFP

Trump e Kim se reuniram três vezes, a primeira delas em um encontro de cúpula histórico em junho de 2018, em Singapura. As negociações sobre a desnuclearização da Coreia do Norte, no entanto, não avançaram e passam por uma estagnação desde o fiasco do segundo encontro de cúpula em fevereiro de 2019, em Hanói, no Vietnã. Isto não impediu Trump de elogiar com frequência sua relação com Kim.

"Ele escreveu cartas bonitas, são ótimas cartas. Nós nos apaixonamos", afirmou Trump em um comício, em setembro de 2018.

Woodward, autor de "Rage", também escreveu "Medo: Trump na Casa Branca" (editora Todavia), publicado em 2018, que descreve o governo do líder republicano como uma bomba-relógio e relata o esforço de alguns assessores do presidente para salvá-lo de si mesmo.

Em várias ocasiões, Trump tentou desacreditar o livro anterior do jornalista, que chamou de "piada" e "fraude". Mas, em janeiro, anunciou que se encontrou com Woodward para esta nova obra.

De acordo com a editora Simon & Schuster, no novo livro, "Trump forneceu a Woodward uma janela em sua mente por meio de uma série de entrevistas exclusivas".

Os detalhes em "Rage" incluem o que estava por trás de decisões de Trump diante dos tópicos que mais preocuparam os americanos neste ano, como a pandemia de coronavírus, as operações de segurança nacional e as manifestações antirracistas que se espalharam pelo país.

"Nos principais pontos de decisão, 'Rage' mostra como as respostas de Trump às crises de 2020 estavam enraizadas nos instintos, hábitos e estilo que ele desenvolveu durante seus primeiros três anos como presidente."

Woodward extraiu o conteúdo de seu novo livro de centenas de horas de entrevistas com fontes primárias, e-mails, diários e documentos confidenciais do governo dos EUA.

Segundo a editora, o livro é um "relato fundamental da Presidência de Trump" e um "documento essencial para qualquer eleitor que busca uma visão interna dos anos Trump".

Pelo menos outros três livros já publicados ou com lançamento previsto para 2020 trouxeram novos detalhes sobre o perfil de Trump como presidente, bem como suas relações familiares.

"The Room Where It Happened: A White House Memoir" (a sala onde aconteceu: um livro de memórias da Casa Branca), escrito por John Bolton, ex-assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, e lançado em junho, denuncia movimentações do líder republicano para prejudicar seus adversários políticos e favorecer seus interesses pessoais —em especial, sua candidatura à reeleição em novembro.

Publicado em julho, "Too Much and Never Enough: How My Family Created the World's Most Dangerous Man" (demais e nunca o bastante: como minha família criou o homem mais perigoso do mundo), escrito por Mary Trump, sobrinha do líder americano, descreve detalhes sórdidos da família do presidente e, a partir de documentos e depoimentos de parentes, descreve Trump como uma pessoa forjada em traumas familiares e mentiras.

Com lançamento previsto para 1º de setembro, há ainda o livro "Melania and Me: The Rise and Fall of My Friendship with the First Lady" (Melania e eu: ascensão e queda da minha amizade com a primeira-dama), escrito por Stephanie Winston Wolkoff, ex-grande amiga e assistente de Melania Trump.

O motivo do rompimento foi a demissão de Wolkoff, em janeiro de 2018, do cargo não remunerado de assessora sênior da primeira-dama. No livro, a autora promete revelar informações íntimas da amizade com Melania e observações sobre a convivência na Casa Branca.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.