Descrição de chapéu Venezuela

Opositor Leopoldo López chega a Madri após fugir da Venezuela

Ex-prefeito vivia como refugiado na embaixada espanhola em Caracas desde abril de 2019

Madri | AFP

O líder da oposição venezuelana Leopoldo López chegou a Madri neste domingo (25), após deixar Caracas na véspera, afirmou seu pai, o deputado do Parlamento Europeu Leopoldo López Gil.

O ex-prefeito estava refugiado na embaixada da Espanha em Caracas desde 30 de abril de 2019, quando escapou da prisão domiciliar.

O líder da oposição venezuelana Leopoldo López fala a repórteres em frente à residência do embaixador espanhol em Caracas
O líder da oposição venezuelana Leopoldo López fala a repórteres em frente à residência do embaixador espanhol em Caracas - Carlos Garcia Rawlins - 2.mai.19/Reuters

López Gil, que vive em Madri, não deu detalhes sobre como o filho chegou à Espanha. No sábado (24), disse que López havia deixado a Venezuela de forma clandestina em direção à Bogotá —não se sabe se o opositor teria feito escala em outros países ou seguido direto para a Espanha.

O regime de Nicolás Maduro acusou, neste domingo, o embaixador da Espanha na Venezuela, Jesús Silva, de ser cúmplice do que chamou de fuga. “É claramente verificável que o chefe da missão diplomática espanhola na Venezuela foi o principal organizador e cúmplice confesso da anunciada fuga do criminoso Leopoldo López do território venezuelano”, afirma o comunicado da chancelaria do país.

No texto, Caracas denunciou ainda “o descumprimento flagrante das disposições fundamentais da Convenção de Viena sobre relações diplomáticas”.

López é o principal líder do partido Vontade Popular e articulador da estratégia de alçar Juan Guaidó a líder da Assembleia Nacional —para depois torná-lo autoproclamado presidente interino.

Em 2014, López foi condenado pela Justiça do regime chavista por supostamente estimular protestos violentos na série de manifestações que ocorreu no país naquele ano. Cumpriu 3 dos 14 anos de sua sentença e depois foi transferido para o regime de prisão domiciliar, sob o qual ficou por dois anos.

A saída do opositor da Venezuela se dá num momento de fragmentação da oposição venezuelana e de queda de popularidade de Guaidó, enquanto as eleições legislativas, das quais grande parte da oposição decidiu não participar, aproximam-se.

Nas redes sociais, López não disse para onde ia, mas escreveu que continuará atuando politicamente fora do país. "Venezuelanos, esta não foi uma decisão simples, mas tenham a segurança de que contam com este servidor para lutar de qualquer lugar. Não descansaremos e seguiremos trabalhando dia e noite para alcançar a liberdade que todos os venezuelanos merecemos."

Também pelo Twitter, Guaidó ironizou o ditador Nicolás Maduro, dizendo que a oposição havia burlado "o aparato repressivo" do regime para mandar López ao exterior. "Maduro, você não controla nada", escreveu.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.