Descrição de chapéu Diplomacia Brasileira

Bolsonaro vai ao aeroporto encontrar ex-motorista de jogador que recebeu indulto na Rússia

Presidente afirma que Robson vai trabalhar para deputado e isenta volante Fernando de responsabilidade

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Rio de Janeiro

Após receber indulto do governo russo, o brasileiro Robson Oliveira desembarcou na noite desta quarta-feira (5) no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, e foi recepcionado por familiares e pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Bolsonaro afirmou que o Itamaraty trabalhou “em segredo para não atrapalhar a liberdade” do ex-motorista do jogador de futebol Fernando. “[Fizemos] tudo em segredo para não atrapalhar a liberdade de um homem que, para nós, é inocente. Para o governo russo, não, de acordo com suas leis”, disse ele.

O presidente Jair Bolsonaro recebe o motorista Robson Oliveira no aeroporto no Rio
O presidente Jair Bolsonaro recebe o motorista Robson Oliveira no aeroporto no Rio - Jair Bolsonaro no Facebook

O motorista estava preso havia mais de um ano na Rússia, acusado de tráfico internacional de drogas por ter entrado no país com um remédio que possui cloridrato de metadona —substância proibida na Rússia, mas permitida no Brasil. O governo russo proibiu no fim dos anos 1990 a substância, utilizada no tratamento de usuários de drogas. No país, a metadona está listada em lei federal para narcóticos.

Os medicamentos foram encomendados pela família de Fernando, à época jogador do Spartak de Moscou e para quem Robson trabalhava. Atualmente, o volante é jogador do time chinês Beijing Guoan.

O caso de Robson ganhou destaque nas redes sociais, com a hashtag ​#JusticaporRobson, compartilhada inclusive por jogadores. Fernando, por sua vez, publicou em redes sociais mensagens nas quais diz ajudar Robson a provar sua inocência, inclusive com o pagamento de seu advogado.

Bolsonaro saiu em defesa do jogador. “Alguns achavam que ele podia ir além. O Fernando foi no limite. Podia ir mais? Talvez pudesse ir além. Mas não justifica, no meu entendimento, algumas críticas como se tivesse abandonado o Robson. Não é fácil, acostumado com um Judiciário no Brasil bastante complacente, lá é diferente”, disse o presidente.

Questionado sobre o comportamento do jogador, Robson não quis comentar. “Vou matar a saudade da minha família e conhecer o meu neto. Prefiro não responder sobre o Fernando.”

Lá Fora

Receba toda quinta um resumo das principais notícias internacionais no seu email

Bolsonaro comparou a atuação de seu governo no caso Robson com a da gestão Dilma Rousseff sobre o brasileiro Rodrigo Gularte, executado na Indonésia depois de tentar entrar no país asiático com 6 quilos de cocaína escondidos em pranchas de surfe. “Não fomos atrás de liberdade de um homem que cometeu ilícitos em outro país, como aconteceu antigamente”, disse ele.

O presidente afirmou que Robson seria empregado pelo deputado federal Hélio Lopes (PSL-RJ), conhecido como Hélio Negão. Ele vai trabalhar, segundo Bolsonaro, como motorista do parlamentar no Rio.

Bolsonaro havia anunciado o indulto do governo russo no domingo. Segundo ele, o ato foi concedido pelo governo russo em virtude da comemoração da Páscoa da Igreja Ortodoxa, a religião com maior número de seguidores na Rússia. A notícia sobre o indulto de Robson foi informada ao presidente pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, que esteve na manhã de domingo (2) no Palácio do Alvorada.

"Depois de meses de negociação com o governo russo, com quem mantemos um excelente relacionamento, o Robson, ex-motorista do jogador Fernando, que estava detido havia dois anos, já se encontra na embaixada brasileira", afirmou o presidente no fim de semana.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.