Descrição de chapéu
José Henrique Germann Ferreira

10 minutos contra a dengue

Campanha prevê varredura para barrar o Aedes aegypti

Estamos próximos do verão e do período de chuvas. E, com isso, tornam-se mais favoráveis as condições para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor de arboviroses importantes como dengue, zika vírus e chikungunya. 

Desde o início deste ano, circula em São Paulo o vírus tipo 2 da dengue, que há algum tempo não estava presente no estado. A ocorrência preocupa, pois muitas pessoas nunca tiveram contato com o vírus, estando assim mais suscetíveis à infecção e a quadros mais graves da doença.

Um levantamento inédito dos nossos técnicos detectou que em cada imóvel de São Paulo existem, em média, 2,5 criadouros de Aedes. Cerca de 80% dos focos estão presentes em ambientes domésticos. Em geral, são pequenos recipientes como pratos de vasos de plantas, latas, garrafas plásticas, pneus e outros objetos esquecidos nos quintais, a céu aberto.

0
Agentes da Prefeitura de São Paulo fazem inspeção contra a dengue em condomínio em Higienópolis, em São Paulo - Zanone Fraissat - 11.out.19/Folhapress

Preocupada com isso, a Secretaria de Estado da Saúde tem articulado com os municípios uma grande mobilização que envolva toda a população. Durante toda esta semana, teremos ações especiais com o objetivo de estimular a participação de todos na eliminação permanente de recipientes que possam favorecer a proliferação do mosquito.

Pedimos que cada cidadão faça uma pequena mudança na sua rotina, que significa muito para a saúde pública: reservar 10 minutos semanais para fazer uma varredura em suas residências, retirando dos quintais objetos que possam acumular água, cuidando e mantendo o lixo em sacos fechados e locais cobertos, eliminando pratos de vasos de plantas ou usando pratinhos que sejam bem ajustados ao vaso, verificando se a caixa-d’água está bem fechada e descartando pneus em postos de coletas das suas cidades.

Essas medidas unem forças com as ações do poder público estadual, que tem tratado o assunto como política de Estado, reunindo as pastas do governo para ações coordenadas, previstas no Programa Estadual de Controle de Arboviroses. Na semana passada, por exemplo, fizemos uma força-tarefa em parceria com a Secretaria de Educação, engajando e conscientizando estudantes na eliminação de possíveis criadouros. Outras iniciativas estão previstas para as próximas semanas em parques, rodovias e prédios públicos.

Serão horas e horas de trabalho dedicadas a essa missão. Seus dez minutos semanais farão toda diferença. Contamos e agradecemos por seu apoio nessa iniciativa de prevenção.

José Henrique Germann Ferreira

Médico especializado em administração hospitalar, é secretário de Estado da Saúde de São Paulo

TENDÊNCIAS / DEBATES

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.