Leitores comentam a posse de Biden

Leitor pede reforma administrativa e tributária

Joe Biden, presidente
Biden: "A democracia depende de nós, o povo". Bolsonaro: "Quem decide se um povo vai viver em uma democracia ou ditadura são as Forças Armadas".
Paulo Bittar (São Paulo, SP)

"Defender a verdade e derrotar as mentiras!" Esta foi a primeira "bomba" que Joe Biden mandou direto na cabeça de Bolsonaro, o presidente mais isolado do planeta.
Noel Neves (Poços de Caldas, MG)

Parabéns ao povo norte-americano pela vitória da democracia. O mundo já tem problemas demais, e tirar esse nefasto da Presidência foi digno de louvor.
Luciano Vettorazzo (São José do Rio Preto, SP)

A mentira passou a ser substanciosa no Brasil e permitiu a eleição de um dos piores candidatos que já surgiram. Agora, afundados nela, temos de reagir --como fizeram alguns americanos de boa índole-- e extinguir o terror que se instalou no governo federal.
Américo Venâncio Lopes Machado Filho (Salvador, BA)


Cheiro da morte
Bolsonaro gosta do cheiro da morte. Não gosta de radares nas estradas nem de cadeirinhas para crianças. E desgosta mais ainda de máscaras e de distanciamento social. Tem total ojeriza ao rastreamento de armas e munições. Entretanto, os fuzis, os armamentos pesados e os métodos de perseguição da ditadura têm o seu apreço.
Alexandre Santos Gonçalves (São Paulo, SP)

Ruy Castro fez uma síntese sensacional sobre a penúria mental e a mediocridade de Bolsonaro e Pazuello em sua coluna desta quarta ("Lambanças de Bolsonaro e Pazuello", Opinião, 20). As Forças Armadas veem sua imagem ser deteriorada todos os dias com as lambanças dos dois paspalhos! A saúde e a vida dos brasileiros estão nas mãos de uma dupla de parvos! Bolsonaro e Pazuello envergonham as Forças Armadas e os brasileiros.
Therezinha Lima e Oliveira (São Paulo, SP)

O descontrole da pandemia, o caos logístico das vacinas e as crises que se avolumam são as últimas esperanças do presidente para se manter no poder. No paradoxo brasileiro, quanto pior o governo, maior a chance de um impeachment, sob o frágil pretexto de não gerar instabilidade ("Impeachment Pró-Vida", Conrado Hübner Mendes, 20/1). O estresse institucional imposto pela violação diária da Constituição desde o primeiro dia deste governo não deixa dúvida de que o impeachment urge e é a única saída para que o país tenha algum futuro.
Delma Vilar (Altinópolis, SP)


Cloroquina
A evidência maior de que a cloroquina não funciona como tratamento precoce é o número de infectados no entorno do presidente, já que todos devem ter um "kit cloroquina" de uso exclusivo.
Vital Romaneli Penha (Jacareí, SP)


Golpe branco
Tive de ler três vezes a carta de um leitor que defende um "golpe branco" de militares para acreditar no que eu lia (Painel do Leitor, 20/1). Anteontem, golpe contra outros governantes; agora, contra Bolsonaro. Essa mentalidade levou a nação ao ponto em que está. Até quando nossa incipiente democracia resistirá às taras fascistas?
Eduardo Guimarães (São Paulo, SP)


Soja
Excelente o artigo do professor Marcos Sawaya Jank na edição desta quarta ("Macron e a falácia da autossuficiência em soja", Tendências / Debates). O presidente da França, porta-voz dos agricultores daquele país, procura desesperadamente um motivo para eliminar a concorrência da eficiente agricultura brasileira, assacando falsidades e inverdades. Não é por acaso ele que, com os mesmos insidiosos argumentos, está tentando dinamitar o acordo União Europeia-Mercosul?
Américo Utumi (São Paulo, SP)

0
Produção de soja irrigada em Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia - Raul Spinassé/Folhapress


A soja emprega pouco, concentra terra, concentra renda, usa 90% de tecnologia importada, tem produtividade estagnada há 15 anos... E tudo termina na mão de quatro ou cinco traders, que ficam com o filé. Mas agora o mantra (negativismo?) é que "cresce sobre áreas de pastagem, e não sobre florestas e vegetação nativa". Então quem desmatou as áreas de Cerrado e a mata atlântica foi o pecuarista, que depois virou sojicultor? Nossos lobistas não são tão originais. E para atender 700 milhões de toneladas de soja em 2050 é a floresta amazônica que vai ter que cair pela motosserra dos... pecuaristas?
Emílio Borsari Assirati (São Paulo, SP)


Reformas
Está mais do que na hora de lideranças empresariais (indústria e comércio) agirem de forma mais efetiva e contundente para exigir dos Executivos (federal, estaduais e municipais) e Legislativos ações concretas imediatas para uma reforma tributária e administrativa. E é preciso chamar a atenção do Judiciário para uma postura que garanta a segurança jurídica do país. De nada adianta investirmos para gerar riqueza se ela se esvai no desperdício administrativo e na corrupção.
André Coutinho (Campinas, SP)


Issa Gubeisse
Conheci Issa Gubeisse em 1983, quando fui repórter de A Gazeta Esportiva ("Apaixonado por cinema, seu Issa foi um precursor dos anúncios de filme no jornal", Corrida, 20/1). Era sempre uma alegria quando ele aparecia na Redação. Com sua simpatia e seu jeito de menino, logo me conquistou e fez de mim seu fã. Que Deus o tenha num bom lugar.
Gilberto Assad (São Paulo, SP)

0
Issa Gubeisse e o ator Michael Douglas - Folhapress


Que linda homenagem, que honra poder ter tido a oportunidade de conviver com essa lenda da publicidade. Issa, amigo! Que saudade de você!
Eduardo dos Santos, ex-funcionário da Folha (São Paulo, SP)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.