Leitores comentam Covid em Mirandópolis

'Elogio à figura nefasta de Jair Bolsonaro é um escárnio a todos os brasileiros'

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Mirandópolis
"Covid explode em cidade do interior de SP governada por 'Bolsonaro caipira'" (Poder, 20/4). Mirandópolis é um caso exemplar do que ocorre no Brasil de Bolsonaro. Costuma-se dizer que ele não liderou o combate ao vírus, o que é verdade. E é inquestionável que ele liderou a propagação da Covid com suas ações e pronunciamentos negativistas. Um dia será calculado o número de mortes desnecessárias causadas por ele. Será então punido.
Renato Botelho (Niterói, RJ)

O prefeito de Mirandópolis, Everton Sodário, sem máscara, em frente a obra de saneamento na cidade - Everton Sodario no Facebook


Esse prefeito precisa ser processado por crime doloso. É preciso por um ponto final nessa sandice criminosa.
Andre Barreto (Campinas, SP)

Aposto que esse ser ainda vai se reeleger na próxima eleição. É o que dá votar com ódio no coração. Agora chora, Mirandópolis.
Israel Rabino (São Paulo, SP)

Definitivamente, o brasileiro não sabe votar. Nunca procura informações sobre as realizações, as posições políticas, o passado e a história dos candidatos. O brasileiro paga internet para ver vídeos bobos, fofocas e fake news, nunca para conferir a vida dos candidatos.
Mara Passos (São Paulo, SP)


Formação de família
"Bolsonaro recebeu no Planalto empresário que doou carro e apoiou negócio de Jair Renan, o filho 04" (Poder, 20/4). Como é mesmo que diz o povo que apoia Bolsonaro? "A mamata acabou!"? Só rindo para não chorar! Como já disse o Macaco Simão: "Bolsonaro deveria ser preso por formação de família!". Neste caso, familícia.
Carlos Frederico C Moura (Brasília, DF)

Nunca o desprezo pela moralidade pública foi tão ostensiva quanto neste governo. Mas para que se preocupar? A Polícia Federal já está sob controle, não é mesmo?
Hernandez Piras Batista (São Paulo, SP)

Um dos filhos de Lula responde por algo bem parecido. Quando alguém gritar "pega, ladrão!", o melhor é olhar de onde vem o grito.
Rodrigo Ribeiro (São Paulo, SP)

A bandidagem parece tomar conta do governo Bolsonaro, com a participação do presidente e a de seus filhos.
Denise Mendes (Salvador, BA)


Fé na Justiça
"É meritório um evangélico no Supremo, diz juiz federal William Douglas, pastor admirador de Bolsonaro" (Poder, 20/4). A entrevista concedida pelo jurista William Douglas à Folha é vergonhosa, sob todos os aspectos! O elogio à figura nefasta de Jair Bolsonaro é um escárnio a todos os brasileiros. Que Augusto Aras e André Mendonça ponham as suas barbas de molho... Tem mais um puxa-saco do presidente como forte concorrente a uma das vagas ao Supremo Tribunal Federal.
Marcelo Silva Carvalho (Belo Horizonte, MG)


A Bíblia é a mãe de todas as heresias religiosas, politicas e judiciárias. E é impressionante como ela é usada indevidamente. O seu uso, pela voracidade do poder terreno, pelo desejo de alcançar cargos, subjugando-se à tirania, diminui o testemunho do valor cristão. Política e religião não se misturam.
Jose William L. Oliveira (Sorocaba, SP)

Elites e saúvas
As elites de um país são —ou ao menos deveriam ser— o norte, a referência de sua população. Aqui, os bem-nascidos e bem-sucedidos são autocentrados, insensíveis, preconceituosos, hiperconsumistas, anti-intelectuais, pobres de espírito, enfim... Oded Grajew é exceção. Infelizmente, nossas elites, os males do Brasil são ("Carta à elite econômica", Tendências / Debates, 20/4).
Cyro Leão (São Paulo, SP)

Uma lição de bom senso —e nada tão difícil ou impossível de ser feito. Menos desigualdade e mais atenção aos menos favorecidos faz uma corrente do bem que ativa política e economicamente todo o país. Senhores empresários, leiam e releiam o texto inteligente de Oded Grajew.
Cristina Reggiani (Santana de Parnaíba, SP)

Oded Grajew afirma que a elite econômica deveria se constranger pelos indicadores sociais e pelas vergonhosas desigualdades do Brasil. São palavras ao vento... Nossa elite é tão pouco civilizada que não se constrange nem sequer com ovação ao genocida ou com a legislação que aprova o fura fila da vacinação. Que dirá então em relação à miséria e à desigualdade...?
Marcus Flávio Medeiros Mussi (São Paulo, SP)


O divã
A edição da Folha desta terça-feira, 20 de abril, foi marcante. Entre os muitos textos brilhantes, destaco as dicas de Tati Bernardi sobre os livros de psicanálise ("Dicas de livros para quem quer entrar ou se aprofundar no mundo da psicanálise") e também do cronista Álvaro Costa e Silva sobre o Brasil assassinado ("Crônica de um país assassinado", Opinião). As análises de Guilherme Boulos sobre a aproximação necessária da esquerda com os evangélicos ("A esquerda e os evangélicos", Opinião) e a essencial carta de Oded Grajew aos empresários nos fazem pensar que ainda há esperanças. Um verdadeiro divã para nossas crises existenciais.
Paulo Roberto Pedrozo Rocha, professor universitário (São Paulo, SP)

George Floyd
"Ex-policial Derek Chauvin é condenado pela morte de George Floyd" (Mundo, 20/4). Esse sujeito cruel e covarde, com essa cara de guarda de campo de concentração nazista, deveria pegar uns 100 anos de condenação. Matou deliberadamente. Sabia que o George Floyd, imobilizado e suplicando pela vida, não tinha a mínima chance de se salvar.
Ednaldo Miranda De Freitas (Coronel Fabriciano, MG)

Onze meses depois do fato, o réu é condenado em primeira instância e começa a cumprir a pena...
Hélio Marcengo (Curitiba, PR)

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.