Descrição de chapéu Eleições 2018

Em primeiras reuniões no segundo turno, Zema acena a evangélicos e policiais em MG

Candidato segue na estratégia de atrair eleitores de Bolsonaro

Carolina Linhares
Belo Horizonte

O candidato Romeu Zema (Novo), que disputa o segundo turno em Minas Gerais contra Antonio Anastasia (PSDB), se encontrou nesta terça (9) com pastores da Igreja Batista da Lagoinha, num aceno para evangélicos.

A reunião foi promovida por Lucas Gonzales (Novo), deputado federal eleito em Minas e ligado à igreja. 

Na quarta (10), Zema se reúne com o comando da Polícia Militar e com representantes de praças policiais, a pedido do próprio comando. 

Romeu Zema, candidato do partido Novo que disputa o segundo turno em Minas Gerais contra Antonio Anastasia (PSDB)
Romeu Zema, candidato do partido Novo que disputa o segundo turno em Minas Gerais contra Antonio Anastasia (PSDB) - Carolina Abreu - 07.out.2018/Divulgação

Ao se reunir com policiais e evangélicos, Zema segue na estratégia de atrair eleitores de Jair Bolsonaro (PSL), que o impulsionaram a chegar à frente no primeiro turno, desbancando Anastasia e o governador Fernando Pimentel (PT). 

Nesta manhã, o Partido Novo se posicionou contra o PT no segundo turno, mas não declarou apoio a Bolsonaro. Depois de chegar a pedir votos para o capitão reformado e ser repreendido pelo partido, Zema passou a afirmar que acatará a decisão dos dirigentes do Novo sobre apoio no segundo turno. 

Antes de saber sobre a decisão do Novo, porém, em entrevista nesta manhã, Zema indicou que preferia que o partido tomasse posição. "Quando tem duas opções, sempre tem uma que pode ser melhor do que a outra e com certeza vamos estar indo para aquela, não que nos atenda integralmente, mas que nos atenda melhor do que a outra", disse. 

A respeito dos policiais, afirmou que eles precisam ser mais bem equipados e defendeu a instalação de câmeras nos coletes para preservá-los de denúncias sobre excessos. 

"Para que amanhã ele não tenha de ser responsabilizado por nenhum ato, que muitas vezes o bandido alega que o policial cometeu algum excesso. Quero que o policial trabalhe mais bem equipado e mais tranquilo. E hoje ele está totalmente inseguro, porque parece que aqui no Brasil bandido começou a ter mais razão do que nós que trabalhamos."

Questionado sobre buscar o apoio de evangélicos e policiais, Zema disse que "todo apoio é bem-vindo". Ele já recebeu o apoio de João Batista Mares Guia (Rede), que concorreu ao governo de Minas. Os outros candidatos não o procuraram e Zema disse não ter tido tempo de procurá-los. 

Mesmo sendo contra o PT, Zema diz que não recusaria o apoio do governador. "Se o Pimentel concordar com as nossas propostas e quiser apoiar, desde que não haja balcão de negócios, nós não vamos recusar", afirmou. 

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.