Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Após 100 dias, Bolsonaro lança pacote de medidas para reverter desgastes

13º do Bolsa Família, mudanças na Esplanada e viagens pelo Brasil estão entre as iniciativas

Talita Fernandes Gustavo Uribe
Brasília

Em comemoração aos 100 dias de governo, o presidente Jair Bolsonaro aproveitará evento no Palácio do Planalto para anunciar pessoalmente nesta quinta-feira (11) a concretização de medidas que estavam previstas desde o início de sua gestão.

Durante a cerimônia, que terá como slogan "100 dias - 100% pelo Brasil", Bolsonaro vai assinar um pacote de decretos presidenciais.

Entre eles, a criação do 13º pagamento para beneficiários do Bolsa Família, promessa feita pelo presidente durante a campanha para desfazer uma declaração de seu vice, general Hamilton Mourão, que criticou o pagamento do benefício aos trabalhadores brasileiros.

Na lista estão ainda a alteração do regime de multas do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) e a instituição da nova Política Nacional de Alfabetização e da Política Nacional de Gestão Turística.

Preparativos para evento oficial em comemoração pelos 100 dias de governo Bolsonaro, no Palácio do Planalto
Preparativos para evento oficial em comemoração pelos 100 dias de governo Bolsonaro, no Palácio do Planalto - Talita Fernandes - 10.abr.2019/Folhapress

A ideia é de que ele aproveite a solenidade para anunciar também a publicação das regulamentações da educação domiciliar e da Lei Brasileira de Inclusão, iniciativas que já foram anunciadas pelo Ministério dos Direitos Humanos.

O decreto do Meio Ambiente, que será assinado nesta quinta-feira (11), viabiliza a realização de audiências de conciliação e de descontos progressivos no processo de pagamento de multas ambientais.

O Palácio do Planalto organizou uma cerimônia no segundo andar que contará com a presença de parlamentares, ministros e apoiadores. Um discurso do presidente também é previsto. 

Bolsonaro chega aos 100 dias de governo numa tentativa de reestruturar sua gestão após acumular desgastes com erros de comunicação e desentendimentos com o Congresso. 

Para tentar reverter esse quadro, o Planalto planeja fazer mudanças na estrutura da Esplanada e alguns ministérios podem ser revistos.

Na área de comunicação, o presidente decidiu trocar o chefe da Secom (Secretaria de Comunicação) pelo empresário Fabio Wajngarten. O objetivo é criar uma agenda positiva da gestão atual por meio da publicidade e do relacionamento com a imprensa. 

Um dos pontos que deve ser intensificado é a promoção da reforma da Previdência para a população.

Pesquisa Datafolha desta quarta-feira (10) mostrou que 51% desaprovam o projeto, considerado crucial pelo governo. 

Bolsonaro deve ainda passar a fazer viagens pelo Brasil para inauguração de obras e promoção de ações de sua gestão.

A primeira delas ocorrerá na sexta-feira (13), com a inauguração de um aeroporto em Macapá, capital do Amapá.

Na lista de visitas a estados há a previsão de uma ida a Campina Grande, na Paraíba, para entrega simbólica do 13º do Bolsa Família, além de uma ida a locais no estado onde o presidente vai visitar postos de dessalinização de água.

Para as agendas, o Planalto pediu aos ministérios que informem a lista de ações e inaugurações que o presidente pode fazer pessoalmente nos estados brasileiros.

Com as viagens, auxiliares querem transmitir para a população um sinal de proximidade do presidente com os cidadãos.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.