Com Joice e Major Olímpio, ala do PSL oficializa pedido de expulsão de Eduardo Bolsonaro

Em meio à guerra interna no PSL, grupo alinhado a Bivar acusa o filho do presidente de abuso de poder

Thais Arbex
Brasília

A ala do PSL ligada ao presidente do partido, deputado Luciano Bivar (PE), oficializou nesta quarta-feira (23) à Executiva Nacional um pedido de expulsão de Eduardo Bolsonaro (SP), recém-nomeado líder da legenda na Câmara. 

A representação é assinada pelo líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), e pelos deputados da bancada paulista do partido Abou Anni, Coronel Tadeu, Joice Hasselmann e Júnior Bozzella. 

No documento, ao qual a Folha teve acesso, os aliados de Bivar também pedem que, de imediato, seja destituída a Direção Estadual do partido em São Paulo, hoje sob o comando de Eduardo.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), recém-nomeado líder da legenda na Câmara
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), recém-nomeado líder da legenda na Câmara - Pedro Ladeira - 15.out.2019/Folhapress

A ofensiva contra o deputado, que é filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), ocorre no momento em que a disputa interna no PSL ultrapassa a esfera partidária, e as duas alas partem para uma ofensiva na Justiça. O pano de fundo é a tentativa de controle da legenda e de seu fundo partidário —que no fim de 2019 pode chegar a R$ 110 milhões.

De acordo com o trâmite do processo, o filho de Bolsonaro tem o prazo de cinco dias para apresentar sua defesa, "sob pena de confissão e revelia, considerando-se verdadeiros os fatos".

O documento indica que a disputa de poder com a família Bolsonaro ocorre há mais de um ano. O grupo alinhado a Bivar acusa Eduardo de abuso de poder, ao "colocar seus interesses pessoais à frente dos interesses do partido". 

Segundo os congressistas, o deputado tem atuado de forma antidemocrática à frente da sigla em São Paulo, para "desmontar o partido no estado". Eles dizem que Eduardo derrubou de "maneira ilegal" mais de 200 diretórios definitivos e comissões executivas municipais em todo o território paulista.

O documento elenca uma série de casos que aconteceram desde o ano passado em diversas cidades paulistas e que já foram levados oficialmente à Direção Nacional do PSL, como Avaré, São José do Rio Preto e Araraquara.

As reclamações, segundo a petição, partiram de filiados que estão no PSL antes da chegada do "clã Bolsonaro" e "que defendem há tempos os ideais do partido". 

"O representado Eduardo Bolsonaro já deu diversas declarações públicas à imprensa de que está montando o partido com o seu grupo", diz a representação. 

"Os princípios partidários têm muito maior importância do que quaisquer das demais normas previstas no estatuto do PSL. Dentre esses princípios estão: a unidade partidária, a proteção da imagem do partido e o respeito que deve existir entre seus membros." 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.