Descrição de chapéu Eleições 2020

Vice-prefeito e deputado federal vão ao segundo turno em Boa Vista

Uma das candidatas na capital de Roraima morreu decorrente da Covid-19

Ribeirão Preto

O atual vice-prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique (MDB), 39, e o deputado federal Ottaci (Solidariedade), 43, vão disputar o segundo turno da eleição na capital de Roraima.

Segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Arthur Henrique obteve 49,64% dos votos válidos, insuficientes para vencer o pleito no primeiro turno, enquanto seu adversário somou 10,59%.

A campanha na cidade foi marcada pela morte por Covid-19 de Edileusa Lóz (MDB), 57, candidata a vice-prefeita de Boa Vista na chapa de Arthur Henrique, atual vice que disputa a sucessão com apoio da prefeita Teresa Surita (MDB), e também por uma apreensão de cestas básicas avaliadas em R$ 35 milhões neste sábado (14) em um mercado do município.

O candidato a prefeito de Boa Vista Ottaci em ato de campanha
Ottaci Nascimento, prefeito eleito de Boa Vista - Reprodução/Facebook

Ottaci disputa a eleição deste ano com uma coligação formada por outros 10 partidos (Patriota, PT, PSC, PSB, PTC, PRTB, PROS, DC, Cidadania e PTB). Já Arthur Henrique tem o apoio do PMB e do Avante.

A disputa entre os dois estava acirrada nas últimas semanas, com os candidatos próximos nas pesquisas de intenção de voto feitas pelo Ibope na cidade.​

Também participaram da eleição outros nove candidatos: o servidor público federal Fabio Almeida (PSOL), 45, a servidora Gerlane (PP), 47, o professor Linoberg (Rede), 44, o economista Luciano Castro (PL), 71, o deputado Nicoletti (PSL), 39, o servidor Isamar (Pode), 57, o empresário Shaolyn Gomes (PMN), 35, a deputada Shéridan (PSDB), 36, e o aposentado Wilson Précoma (PCO), 65.

O atual vice-prefeito de Boa Vista, Arthur Henrique, que concorre no segundo turno à prefeitura
Arthur Henrique (MDB), prefeito eleito de Boa Vista - Reprodução/Facebook

Neste sábado, a PF (Polícia Federal) apreendeu 10 mil cestas básicas que estavam armazenadas num mercado em Boa Vista.

A investigação suspeita de que elas seriam utilizadas para comprar votos para a eleição deste domingo. Além das cestas básicas, foram apreendidos 10 mil kits de higiene. O valor estimado, conforme documentos apreendidos, mostram que o total da compra ultrapassa R$ 35 milhões.

Policiais federais cumpriram dois mandados de busca e apreensão, expedidos pela 1ª Zona Eleitoral do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Roraima, após representação da polícia e manifestação favorável do Ministério Público Eleitoral.

O inquérito policial indica que havia a intenção de usar programas assistenciais do governo do estado, como a distribuição das cestas e kits de higiene, para comprar votos na eleição deste domingo. A PF não informou qual candidato seria beneficiado.

O governo de Roraima disse desconhecer "qualquer confecção de cestas básicas por parte de empresas e registra que, sob nenhuma circunstância, está utilizando a máquina pública em benefício de qualquer candidato ao pleito eleitoral".

"As cestas básicas não pertencem ao governo do estado, pois o processo de aquisição ainda está em andamento e a entrega só será concluída após o período eleitoral, seguindo recomendação do Ministério Público”, diz o governo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.