Boulos não prometeu deixar o país após derrota eleitoral

Ao contrário do que afirma texto que viralizou, psolista falou, em pronunciamento, ser 'o começo de uma caminhada'

São Paulo

Não há indícios de que o ex-candidato à Prefeitura de São Paulo Guilherme Boulos (PSOL) tenha anunciado que deixaria o país após perder para o atual prefeito Bruno Covas (PSDB) nas eleições, como diz uma publicação que circula pelas redes sociais.

Procurada, a assessoria de comunicação de Boulos negou o conteúdo. Em seu pronunciamento pós-eleições publicado no YouTube, ele não fez nenhuma menção sobre sair do país. Pelo contrário, disse ser “o começo de uma caminhada” e motivou as pessoas a continuarem lutando, quando reconheceu a derrota na noite de domingo (29). Além disso, a reportagem não encontrou qualquer entrevista em que o psolista tenha afirmado isso.

Guilherme Boulos, no dia do segundo turno da disputa à Prefeitura de São Paulo, aparece em uma sacada de cimento vermelho vinho. Ele está de máscara e faz sinal de positivo com a mão esquerda. Ao fundo, céu azul
Guilherme Boulos, no dia do segundo turno da disputa à Prefeitura de São Paulo - Danilo Verpa - 29.nov.2020/Folhapress

O Jornal 21 Brasil, portal responsável pela publicação verificada pelo Comprova, afirma que “uma imprensa livre é a condição fundamental para que as sociedades resolvam seus conflitos, promovam o bem-estar e protejam sua liberdade.” O site foi listado pela CPI das fake news do Congresso Nacional como um dos sites de “conteúdo inadequado” que recebeu anúncios do governo. Para a CPI, o site publica notícias falsas e veiculou material de publicidade da campanha Nova Previdência. A CPI analisou o conteúdo publicado pelo site entre junho e julho de 2019. Outras publicações realizadas pelo portal já foram verificadas, como a afirmação de que o TSE teria mudado a empresa responsável pela divulgação da apuração.

Entramos em contato com o Jornal 21 Brasil, mas não tivemos retorno até a publicação desse texto.

Verificação

Atualmente em sua terceira fase, o Comprova verifica conteúdos suspeitos sobre as eleições municipais de 2020, a pandemia e as políticas públicas do governo federal que tenham viralizado nas redes sociais. A verificação de conteúdos que tratam de apuração é importante porque conteúdos inverídicos podem atingir a confiança das pessoas nas eleições.

Neste caso, o post no Facebook que compartilha o link com a notícia falsa teve mais de 3,3 mil curtidas, 2,2 mil comentários e cerca de 500 compartilhamentos desde a noite de domingo.

Falso, para o Comprova, é o conteúdo inventado ou que tenha sofrido edições para mudar o seu significado original e divulgado de modo deliberado para espalhar uma mentira.

A investigação desse conteúdo foi feita por UOL, Favela em Pauta e Rádio Noroeste e publicada na terça-feira (1) pelo Projeto Comprova, coalizão que reúne 28 veículos na checagem de conteúdos sobre coronavírus e políticas públicas. Foi verificada por Correio, GZH, Jornal do Commercio, Niara, Estadão e BandNews.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.