Ex-alunos da Escola Politécnica da USP pedem impeachment de Bolsonaro em manifesto

Carta se soma às de alunos de direito e medicina e critica condução da pandemia

São Paulo

Em manifesto, ex-alunos e membros da comunidade da Escola Polítécnica da USP (Universidade de São Paulo) criticam o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) e pedem seu impeachment.

O texto, assinado por mais de 400 engenheiros, condena cortes em investimentos em tecnologia, critica a degradação ambiental e afirma que a pandemia da Covid-19 escancarou o desprezo à ciência e ao papel do Estado como gestor de crises.

Mulher pede impeachment de Bolsonaro em protesto neste sábado (23) em São Paulo - Amanda Perobelli / Reuters

"Há deboche sobre os efeitos da doença, desprezo em relação à situação financeira das famílias, empresas, prefeituras e governos estaduais. Os profissionais do SUS são colocados em risco, e ao mesmo tempo, se veem sem suporte e sem qualquer respeito por seu conhecimento acumulado e provado", afirma o manifesto.

O texto pede uma nova forma de ajuda financeira às famílias mais pobres, de maneira que possam ficar em casa e fazer isolamento social e, assim, prevenir a disseminação do vírus. O auxílio emergencial, pago pelo governo federal, teve fim em dezembro.

O manifesto também defende a ampla vacinação contra o coronavírus e afirma que os avanços defendidos não serão possíveis enquanto o presidente agir no sentido oposto.

"É por nossa responsabilidade como politécnicos e brasileiros que nos associamos a todos os democratas para deixar pública a nossa indignação e exigir o impedimento do sr. Jair Messias Bolsonaro, nos termos da nossa Constituição e das nossas leis, por comprovada soma de crimes de responsabilidade, devidamente apontados nas dezenas de petições já protocoladas no Congresso Nacional", finaliza o texto.

Outros três abaixo-assinados pedindo o impeachment de Bolsonaro foram divulgados nos últimos dias. Um deles foi organizado por ex-alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP, que, reuniu mais de 1.450 assinaturas.

Outro foi elaborado por ​ex-alunos da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O documento teve mais de 300 assinaturas.

O terceiro é de um grupo de cerca de 700 ex-alunos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

Neste sábado (23) e no domingo, manifestantes pediram o impeachment de Bolsonaro em carreatas em capitais pelo país. O primeiro ato foi impulsionado por partidos de esquerda.

Também houve protesto em favor do impeachment de Bolsonaro em outras cidades pelo país, como Rio de Janeiro, São Paulo e Recife.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.