Descrição de chapéu mercado imobiliário

Sobradinhos dão lugar a prédios na Vila Mariana, campeã de lançamentos imobiliários

De janeiro e setembro deste ano, 2.054 novas unidades residenciais foram postas à venda na região

São Paulo

A Vila Mariana foi o bairro que mais ganhou lançamentos residenciais neste ano, com 2.054 novas unidades até setembro, de acordo com informações do Secovi-SP (sindicato da habitação).

Bem atrás, vêm outros dois bairros da zona sul: Vila Andrade, em segundo lugar com 1.451 unidades lançadas, e Cidade Ademar, com 1.399. Ano passado, Santo Amaro venceu com 4.343 unidades lançadas de janeiro a dezembro.

A localização da Vila Mariana, aliada à infraestrutura e uma gama de comércio e serviços, são os principais atrativos para quem busca imóvel na região. “É um bairro que engloba o que chamamos de segundo cinturão da cidade, que fica logo após o centro expandido”, diz Valter Caldana, professor de arquitetura e urbanismo do Mackenzie.

O gerente comercial Edmilson Ramiro, 51, resolveu trocar um apartamento na Vila Gumercindo por um imóvel no bairro em fevereiro deste ano. O espaço escolhido tem 140 m² e será entregue em agosto do ano que vem.

“O acesso aos principais hospitais, já que minha mãe depende disso, a facilidade de acesso ao centro, onde trabalho, e linhas de metrô para minha filha, que está fazendo faculdade, puseram o bairro na nossa lista de desejos”, diz Ramiro.

O publicitário e escritor Leandro Damasceno Leal, 43, também escolheu a Vila Mariana para fincar raízes.

O são-caetanense já morava no bairro havia 12 anos, em um apartamento de 42 m², e acaba de comprar uma casa de 120 m². “Há alguns anos, optei por não ter carro e a oferta de transporte do bairro veio a calhar”, diz o publicitário.

De acordo com Caldana, os imóveis do chamado subcentro tem a comodidade de ficar perto do metrô, mobilidade e grande qualidade na prestação de serviços.

“As pessoas querem morar em bairros que tenham toda a centralidade que a cidade oferece, com infraestrutura, transporte público e serviços mais próximo”, afirma o professor do Mackenzie.
Diferentemente de outras regiões paulistanas, diz Caldana, o perfil do morador da Vila Mariana é bastante variado, com solteiros em apartamentos menores e famílias em unidades maiores.

Essa variedade de público foi o que atraiu a construtora Tarjab, que tem três empreendimentos engatilhados para o bairro. O primeiro deles será lançado em dezembro deste ano e outros dois, que estão em fase de projeto, no ano que vem.

O Lauto Vila Mariana tem apartamentos com mais de dez tipos de plantas, com apartamentos de 1 dormitório, de 30 metros quadrados a 42 m², 2 dormitórios, de 73 m² a 78 m², ou de 3 dormitórios, variando entre 98 m² a 102 m², em um empreendimento de 73 unidades. O metro quadrado no empreendimento custa a partir de R$ 13 mil.

“Geralmente quem compra imóvel na Vila Mariana já mora no entorno e quer dar um upgrade na moradia”, diz o diretor-presidente da Tarjab, Carlos Borges.

O bairro também está na mira da Trisul, que acaba de lançar o Ambience Vila Mariana. O empreendimento tem apartamentos de 3 suítes com 110 m² e duas vagas; unidades com 2 suítes com 75 m² e 1 vaga; sendo que as unidades possuem armários privativos. O metro quadrado está na faixa de R$ 14 mil.

Se por um lado o bairro tem grande potencial de vendas de imóveis, por outro esbarra na falta de terrenos disponíveis e, consequentemente, nos altos valores. A opção das incorporadoras é recorrer à compra de várias casas para construir seus empreendimentos. Foi o que fez a Trisul, que recentemente comprou 11 casas para formar um lote.

Moradora da Vila Mariana há 37 anos, a aposentada Lourdes Rodrigues, 63, está preocupada com a chegada de tantos novos vizinhos. “Aqui sempre foi muito bom, mas, quando tudo ficar pronto, não sei como vamos ficar. Já temos trânsito no bairro e mercados lotados.”

Campo Limpo têm maior aumento de unidades lançadas

O Campo Limpo foi o bairro que apresentou o maior crescimento no número de unidades lançadas neste ano. Foram 1.324 apartamentos até setembro de 2020 contra 274 durante todo o ano passado, alta de quase 450%, mesmo sem considerar o último trimestre.

A localização e a infraestrutura são diferenciais do Campo Limpo, que foi se consolidando com a chegada do metrô e da mobilidade urbana.

“Morar perto de zonas comerciais, metrô e corredor de ônibus permite que as pessoas façam muitas atividades a pé e, por mais que o metro quadrado custe um pouco mais do que em áreas mais afastadas, no dia a dia o custo fica mais barato e traz mais qualidade de vida”, diz o professor Walter Caldana, do Mackenzie.

As novas unidades estão se concentrando especialmente na área mais central do bairro. É o caso do empreendimento que acaba de ser lançado pela Plano & Plano. O Plano&Florada Ipê - Campo Limpo está a 1 km do terminal de ônibus Capelinha e a 550 metros da estação Campo Limpo do metrô.

O empreendimento será construído em um terreno de 3.090 m² e, ao todo serão 470 unidades, divididas em duas torres. Os apartamentos têm dois dormitórios, 32 m² e custam a partir de R$ 178,9 mil.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.