Descrição de chapéu Álbum de viagem

Estudante de moda viaja sozinha pela Ásia e registra cenários

Larissa Infante, 22, passou pela Tailândia, Vietnã, Mianmar, Índia e Nepal

São Paulo

Em 2016, a estudante de moda Larissa Infante, 22, decidiu largar seus estudos para morar e trabalhar na Austrália por um ano.

Com o dinheiro que juntou, embarcou em uma viagem de cinco meses pela Ásia. A Tailândia e o Vietnã foram visitados com sua família, e depois Infante seguiu sozinha para Mianmar, Índia e Nepal. "Foi um baita de um crescimento", afirma.

Ficou 28 dias em Mianmar, o máximo permitido pelo seu visto. "Foi a melhor surpresa", diz. Por ser um país pouco explorado pelos turistas, encontrou um povo curioso por quem é de fora, e também com muita vontade de receber. "Na Tailândia, as pessoas vêm falar com você para pedir dinheiro, mas em Mianmar, não. Elas vêm porque querem saber seu nome, origem, treinar o inglês", afirma.

Na primeira vez que um desconhecido a chamou para comer na casa dele, ela teve medo. "Mas depois de um tempo no país eu entendi o esquema. Não tinha medo de ser assaltada ou sequestrada. Eles te deixam à vontade", diz.

De lá, partiu para o norte da Índia, onde ficou dois meses. Conheceu o vilarejo onde vive Dalai Lama, próximo aos Himalaias, e visitou o Golden Temple, que achou muito mais bonito do que o Taj Mahal. Também passou uma noite dormindo a céu aberto no deserto do Thar, no Rajastão, e chegou a Varanasi, seu lugar "favorito da viagem inteira".

Ela fez amizade com um homem dedicado à religião hinduísta, que a apresentou ao templo onde estudava e lhe ensinou sobre os rituais de queima de mortos às margens do rio Ganges, "parece que as pessoas estão felizes", afirma Infante.

A última parada foi uma trilha de nove dias pelas montanhas nos Himalaias, no Nepal. Ao subir a mais de 3.000 metros de altitude, conseguia ver sete cadeias de montanhas, entre elas o monte Everest. "Gosto de fazer trilhas pela introspecção e desafio, é bem especial ir pensando na vida, com aquela energia incrível", afirma.

Quando chegou ao topo, depois de um ano na Austrália e dos cinco meses de viagem, começou a chorar. "Eu estava fechando um ciclo, e a minha recompensa era aquela vista maravilhosa."

FOTOGRAFIA

Infante comprou sua câmera quando estava na Austrália e pegou gosto pela fotografia durante a viagem pela Ásia. A vontade de registrar as paisagens e as pessoas rendeu a descoberta de uma nova vocação. Agora na reta final da faculdade, ela trabalha como fotógrafa de moda.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.