Descrição de chapéu Coronavírus

Destinos turísticos do Brasil e do mundo voltam a abrir hotéis, museus e parques

Gramado libera hospedagens com até 50% de ocupação, mas médico desaconselha viajar no momento

Três mulheres com máscara na frente de estátua

Turistas com máscaras em frente a "Pietà", de Michelangelo, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, reaberta na segunda (18) Vincenzo Pinto/AFP

São Paulo

Com o número de novos casos de Covid-19 em queda, países da Europa e da Ásia começaram a reabrir museus e algumas atrações turísticas, com restrições.

No último final de semana, Áustria, Alemanha, França e Suíça abriram alguns pontos de suas fronteiras para que seus cidadãos possam circular entre esses países.

Na Itália, museus, cafés e restaurantes voltaram a funcionar na segunda (18) e, em 3 de junho, o país pretende liberar a entrada de residentes de países da Europa. A Espanha quer fazer o mesmo no final do próximo mês. Até essa data, visitantes precisam encarar uma quarentena de 14 dias.

A Ásia, mesmo sendo o primeiro continente afetado pela doença e o primeiro a controlá-la, segue com restrições para estrangeiros.

Nos EUA, parques da Disney e do Universal, em Orlando, ensaiam um retorno com suas galerias. A City Walk, do Universal, inaugurou a primeira fase de abertura no dia 14, e a Disney Springs na quarta (20).

O país baniu a entrada de cidadãos chineses e europeus. Brasileiros ainda são aceitos, mas na terça (19), o presidente Donald Trump voltou a falar de um possível veto a voos vindos do Brasil. "Não quero pessoas vindo para cá e infectando nosso povo."

Por aqui, destinos da região Sul tentam retomar as atividades, embora o país tenha ultrapassado a marca de mil mortes diárias pela doença nesta terça.

Cidades da Serra Gaúcha permitiram a reabertura de hotéis e atrações turísticas. Em Gramado, esses locais podem funcionar desde o dia 6, com 50% da capacidade. Segundo a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul, a cidade teve um caso de Covid-19.

Segundo Mauro Salles, presidente do Sindtur Serra Gaúcha (sindicato de hotelaria, parques, museus e restaurantes da região), os turistas estão voltando lentamente.

Quem decide ir para lá deve saber que é obrigatório o uso de máscara, mesmo dentro das hospedagens.

De acordo com Salles, a recuperação da atividade depende de visitantes de um raio de 300 km, que chegam de carro. Ele espera que a partir de julho seja possível estimular a visita de turistas de outros estados. "As moedas internacionais estão muito valorizadas, o que dificulta a viagem pro exterior", afirma.

Em Cambará do Sul, a 230 km de Porto Alegre, o glamping Parador Casa da Montanha, que tem barracas com estrutura de hotel, voltou a operar em 30 de abril, também com 50% da capacidade.

De acordo com Rafael Peccin, gerente de marketing, a ocupação está em 40% neste mês. "É o tipo de hotel que as pessoas estão procurando agora, isolado de grandes centros, com natureza", diz.

Uma das atrações locais, o Parque Nacional de Aparados da Serra, famoso por seus cânions, segue fechado.

No Parador, o uso de máscara é obrigatório e o serviço de buffet no café da manhã deu lugar ao serviço em mesa.

Duas máscaras em saquinhos e um pote de álcool em gel
Máscaras e álcool em gel para hóspedes no hotel Parador Casa da Montanha, em Cambará do Sul (RS) - Divulgação

Outro destino popular no Sul, Foz do Iguaçu desenhou um plano para retomar o turismo em junho.

Desde o dia 11, hotéis voltados ao público corporativo podem operar. De acordo com Gilmar Piolla, secretário de Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos da cidade, cerca de 20 hospedagens estão abertas.

Hotéis de lazer e resorts poderão reabrir em 10 de junho, se seguirem algumas medidas, entre elas o uso de máscaras e distanciamento de dois metros entre os clientes.

Atrações como o Parque Nacional das Cataratas do Iguaçu e a usina de Itaipu também estão previstas para reabrir em 10 de junho, com público limitado a 30% da capacidade.

A fronteira com a Argentina e o Paraguai está fechada.

Foz tem 80 casos de Covid-19 e duas mortes. Segundo Piolla, a taxa de ocupação de UTIs está em 16%.

"Pretendemos abrir os atrativos, mas estamos de olho nos indicadores, o alerta será ligado se ultrapassarmos 50% de ocupação nas UTIs e enfermarias, aí teremos medidas restritivas."

A cidade comprou 34 mil testes de coronavírus que serão aplicados em visitantes com sintomas da doença —haverá medição de temperatura em hotéis, atrações turísticas e entradas da cidade.

"Estamos conscientes de que o fluxo de turistas não vai aumentar automaticamente, mas o planejamento de abertura já dá um respiro para o setor", afirma Piolla.

Mesmo com cuidados, o médico Marcos Vinicius da Silva, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, desaconselha viagens no momento.

"É só para quem gosta de viver perigosamente, porque devemos ter nas próximas semanas um estouro de casos no interior do país", afirma.

Veja quais países já abriram e quais seguem fechados

África do Sul Todos os voos para o país estão suspensos pelo menos até 31 de maio

Alemanha Abriu alguns pontos das fronteiras com Áustria, França, Suíça e Luxemburgo, no sábado (16); também autorizou o funcionamento de museus e galerias no início de maio. A abertura total das fronteiras para cidadãos da União Europeia deve acontecer em 15 de junho

Argentina As fronteiras estão fechadas e todos os voos domésticos e internacionais suspensos até o final de agosto

Austrália Só aceita a entrada de cidadãos australianos e residentes; não há previsão para reabertura

Canadá Está fechado para visitantes e só permite a entrada de cidadãos e residentes. A fronteira com os EUA deve ficar fechada pelo menos até 21 de junho

Chile As fronteiras estão fechadas e não há previsão de abertura

China Atrações turísticas, como a Muralha da China e a Disney de Xangai já foram reabertas. Estrangeiros precisam passar duas semanas em quarentena em hotel designado pelo governo, com as despesas pagas pelo viajante

Espanha Tem planos para abrir as fronteiras só no final de junho; agora, quem entrar precisa fazer quarentena de 14 dias. Restaurantes e bares começaram a reabrir

Estados Unidos A entrada de brasileiros é permitida, mas a emissão de vistos está paralisada desde março. Galerias da Disney e do Universal iniciaram primeira fase de abertura, em Orlando, mas parques seguem fechados

França Pelo menos até 15 de junho, só permite a entrada de estrangeiros por motivos de trabalho; cidadãos da União Europeia e do Reino Unido não precisam fazer quarentena

Grécia Prevê a abertura de fronteiras para turistas internacionais em 1º de julho. Reabriu sítios arqueológicos em 11 de maio

Itália Pretende autorizar a entrada de residentes europeus no país em 3 de junho. Cafés e restaurantes podem funcionar, e museus voltaram à atividade no dia 18

Islândia Quer voltar a receber turistas internacionais em 15 de junho, mas eles precisarão fazer teste de Covid-19 ou cumprir quarentena de duas semanas

Japão Entrada proibida para quem esteve em uma lista de lugares, incluindo o Brasil, nas duas semanas antes de chegar ao país

Portugal Liberou no dia 18 o funcionamento de restaurantes, museus, igrejas e monumentos; brasileiros podem entrar no país

Reino Unido O primeiro-ministro Boris Johnson disse em 10 de maio que visitantes teriam que fazer quarentena de 14 dias ao entrar no país, mas ainda não há data para o início da medida

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.