Saltar para o conteúdo principal Saltar para o menu
Publicidade

Mortes por policiais de folga em SP batem recorde em dez anos

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS
Publicidade

O número de homicídios cometidos por PMs de folga tem batido recorde em 2013 em relação aos últimos dez anos no Estado de São Paulo.

Levantamento da Folha com base em dados da corregedoria da corporação mostra que os profissionais que estavam fora do horário de expediente foram responsáveis de janeiro a julho por 129 homicídios dolosos (intencionais, desde um crime passional até a reação a um roubo).

Análise: Militarização, bicos e salários baixos contribuem para as ocorrências

É um crescimento de 52% em relação ao mesmo período do ano passado (85) ou de 55% em relação a 2003 (83).

Editoria de arte/Folhapress

De dez anos para cá, só em 2011 tinha havido mais de cem mortos por PMs sem farda nos sete primeiros meses do ano (na época, 109 casos).

O aumento da letalidade fora do horário de expediente ocorre ao mesmo tempo em que há redução das mortes provocadas por PMs em confrontos, no serviço, como adiantou a Folha em junho.

O número caiu 41% nos primeiros sete meses deste ano em relação ao mesmo período de 2012 (de 290 para 172).

Especialistas em segurança apontam duas explicações para esse fenômeno:

1) Os PMs ainda convivem com a tensão de serem atacados após a morte de 106 deles na crise de violência de 2012; por isso, estariam mais propensos a reagir na folga;

2) Ao mesmo tempo, houve medidas da Secretaria da Segurança Pública para conter os confrontos de PMs em serviço, como novos procedimentos em perseguições (como evitar entrar sozinhos em imóveis invadidos por ladrões) e a restrição ao socorro de crimes graves nas ruas.

"Quando você vê um monte de colegas seus sendo mortos, não pensa duas vezes antes de reagir a um assalto", diz Samira Bueno, secretária-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Para ela, porém, os policiais deveriam ser mais bem preparados para evitar que outras mortes ocorressem.

Por outro lado, a quantidade de PMs vítimas de homicídios tem caído em 2013.

De janeiro a julho do ano passado, 42 policiais morreram na folga e nove em confrontos. No mesmo período deste ano, foram 28 mortos na folga e nove em serviço.

COLETES

O comandante da PM, coronel Benedito Meira, diz que a elevação das mortes por PMs de folga ocorre principalmente porque os criminosos estão "mais ousados".

"Essas mortes acontecem em um contexto de aumento de crimes contra o patrimônio. Os policiais são parte da sociedade e, se ela é vítima desses criminosos, nós também somos", afirmou.

A diferença, no entanto, é que o policial costuma estar armado mesmo na folga e é treinado para reagir.

Segundo Meira, nesse cenário, a orientação dada nos quartéis é para que, mesmo na folga, os PMs usem coletes a prova de balas e, quando se deparar com um crime, aja. "O PM tem o dever de agir, mesmo na folga", disse.

Mais opções
  • Enviar por e-mail
  • Copiar url curta
  • Imprimir
  • Comunicar erros
  • Maior | Menor
  • RSS

Livraria da Folha

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Especiais

Natal

Siga a folha

Publicidade

Envie sua notícia

+ Livraria

Livraria da Folha

Mentes Perigosas
Ana Beatriz Barbosa Silva
De:
Por:
Comprar
A Saúde dos Planos de Saúde
Dráuzio Varella e Mauricio Ceschin
De:
Por:
Comprar
Freud, Além da Alma (DVD)
John Huston
De:
Por:
Comprar
Publicidade
Publicidade

Folha Shop

Smart TV Smart TV Diversas ofertas a partir de R$ 856,11

Notebook Notebook Trabalhe, estude, jogue, a partir de R$ 769,00

Celulares | Tênis | Mais...

Voltar ao topo da página