Brasil ganha mais dois restaurantes com duas estrelas Michelin

O paulistano Ryo e o carioca Oteque sobem na avaliação; país continua sem casa com nota máxima

São Paulo

Boa notícias: temos mais dois restaurantes com duas estrelas no Guia Michelin no país, o paulistano Ryo e o carioca Oteque. Agora são quatro, com o D.O.M., em São Paulo, e o Oro, no Rio.

Má notícia: seguimos sem representantes três estrelas, a classificação máxima do guia centenário.

Além disso, nenhum endereço novo foi incluído na constelação de estrelas do Michelin brasileiro. No total, o Brasil reúne 14 casas estreladas: dez com uma e quatro com duas.

O chef Edson Yamashita, do japonês Ryo, comemora a novidade. “É um objetivo que eu tinha traçado depois que eu fechei a casa para reforma, no ano passado. Agora, com a segunda estrela, é hora de dar a partida para buscar a terceira”, disse.

Tempura de pescado com nori, ouriço fresco, ameixa umeboshi desidratada, caviar e pétalas de flores da Primavera, do menu-degustação do Ryo
Tempura de pescado com nori, ouriço fresco, ameixa umeboshi desidratada, caviar e pétalas de flores da Primavera, do menu-degustação do Ryo - Gilberto Bronko/Divulgação

Depois da reformulação, o Ryo só serve menu degustação e diminuiu a capacidade de 50 para apenas oito clientes. Ainda fechada pela quarentena, a casa deve reabrir em duas semanas.

Comandado pelo chef Alberto Landgraf, que fez fama em São Paulo com o Epice, o carioca Oteque destaca os peixes e frutos do mar.

Essas são as novidades da edição 2020 do mais importante guia de restaurantes do mundo, anunciadas na noite desta sexta (25) em evento adaptado para o novo normal dos tempos de pandemia: com uma live transmitida no canal da publicação no YouTube.

O evento virtual conectou Brasil e França, com a apresentadora Didi Wagner fazendo os anúncios do Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, junto a Gwendal Poullennec, o diretor internacional da publicação, de Paris.

Até a conhecida capa vermelha da brochura ficou no passado. Neste ano, a publicação ficará disponível exclusivamente no aplicativo do Guia Michelin Brasil, disponível gratuitamente para Android e iOS.

O Brasil é o único país da América Latina coberto pelo Michelin, que avalia restaurantes de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Talvez a maior falta diga respeito ao Tuju, duas estrelas no ano passado e que deixou de figurar em 2020 —a casa está com as portas fechadas e pretende reabrir apenas no final do próximo ano.

Três restaurante saíram da publicação, pois tinham uma estrela e a perderam. São dois paulistanos, o Kosushi e o Tangará Jean-Georges, e um carioca, o Olympe. Com cozinha comandada por Thomas Troisgros, o Olympe passa por situação semelhante ao do Tuju. Fechou as portas devido à pandemia e, agora, deve voltar em novo formato, ainda sem previsão de data.

Já a categoria Bib Gourmand, que elege estabelecimentos de “excelente relação qualidade/preço”, lista, agora, 39 opções —dez delas, novas.

Do Rio de Janeiro, são novidades o Didier e o Maria e o Boi. Das casas paulistanas, entraram AE! Cozinha, Ama.zo, Banzeiro, Cepa, Charco, Kith 2º Andar, Nit e Più Iguatemi.

Saíram da seleção os paulistanos Jiquitaia e La Peruana, além do carioca Pomodorino. Os dois últimos encerraram as atividades.

O Jiquitaia, por sua vez, mudou de endereço em agosto —saiu da região do Baixo Augusta e se mudou para o Paraíso.

Em 2019, os destaques haviam sido os cariocas Oteque e Cipriani, além do paulistano Evvai, que conquistaram a primeira estrela no Guia. Também houve duas baixas naquele ano, com os restaurantes Fasano e Dalva e Dito, de São Paulo, deixando a lista.

Para fazer a avaliação, os inspetores visitam anonimamente os estabelecimentos, avaliando receitas com base em cinco critérios. São eles: qualidade do ingrediente, personalidade do chef, técnicas de cozimento e harmonia de sabores, custo-benefício e, finalmente, regularidade.

No evento de anúncio da seleção de 2020, a apresentadora Didi Wagner afirmou que as visitas para avaliação foram feitas antes da pandemia.

As cotações podem ser três estrelas (cozinha excepcional), duas estrelas (excelente) e uma estrela (requintada).

O guia foi criado pelos irmãos Edouard e André Michelin em 1900, na França, com informações de onde abastecer e consertar o carro, onde comer e se hospedar.

*

DESTAQUES NO BRASIL

Conquistaram 2 estrelas
Ryo (SP)
Oteque (RJ)

Mantiveram 2 estrelas*
D.O.M. (SP)
Oro (RJ)

Mantiveram 1 estrela

SÃO PAULO
Evvai
Huto
Jun Sakamoto
Kan Suke
Kinoshita
Maní
Picchi

RIO DE JANEIRO
Cipriani
Lasai
Mee

Perderam a estrela
Kosushi (SP)
Tangará Jean-Georges (SP)
Olympe (RJ)

Bib Gourmand (bom e barato)

Entraram na categoria
AE! Cozinha (SP)
Ama.zo (SP)
Banzeiro (SP)
Cepa (SP)
Charco (SP)
Kith 2º Andar (SP)
Nit (SP)
Più Iguatemi (SP)
Didier (RJ)
Maria e o Boi (RJ)

Agora, integram a categoria Bib Gourmand 39 endereços como A Casa do Porco (SP), Artigiano (RJ), Arturito (SP), Manioca (SP), Komah (SP), Lilia (RJ), Mocotó (SP), Pici Trattoria (RJ) e Tordesilhas (SP). Saiu da lista o restaurante paulistano Jiquitaia, além de dois que fecharam: La Peruana (SP) e Pomodorino (RJ)

*

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.