Argentina impõe quarentena a quem chegar de países mais afetados por coronavírus

Argentinos ou turistas que chegarem dos países com mais casos terão que ficar em casa por 14 dias

Buenos Aires

O presidente argentino, Alberto Fernández, determinou que todos os argentinos ou residentes que venham dos chamados "países de risco" do novo coronavírus terão de fazer quarentena em casa, por um período de 14 dias.

"Isso não é voluntário, não é uma recomendação, se a determinação não for cumprida, a pessoa que o fizer estará cometendo um delito, que é colocar em risco a saúde pública."

Os países considerados de risco são China, Coreia do Sul, Japão, Irã, Itália, Espanha, França e Alemanha. A pena para quem descumprir a quarentena será de 3 a 15 anos, segundo o artigo 202 da Constituição que engloba "delitos contra a saúde pública".

O presidente também disse que é possível que sejam proibidas a vinda ao país de voos provenientes da Itália.

"Estamos avaliando se suspendemos a entrada de pessoas que venham da Itália, isso será decidido nos próximos dias", disse.

Um pacote com outras medidas, como a suspensão de espetáculos públicos, shows, festivais e partidas de futebol será anunciado nos próximos dias. O presidente também aconselhou que maiores de 65 anos cumpram uma quarentena em casa, voluntariamente.

O presidente da Argentina Alberto Fernandez em reunião sobre contenção de casos de coronavírus
O presidente da Argentina Alberto Fernandez em reunião sobre contenção de casos de coronavírus - AFP

A Argentina já tem 19 casos confirmados e uma morte, a primeira por coronavírus na América Latina. Todos os casos são de pessoas que pegaram o vírus em viagem ao exterior —ainda não há casos de transmissão interna.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.